Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Sesi bate Pinheiros e Giba deixa quadra contundido na Superliga

Time do técnico Giovane Gávio venceu por 3 sets a 1, com parciais de 25/22, 21/25, 25/20 e 25/20

iG São Paulo |

O Sesi/São Paulo superou o Pinheiros/SKY na noite desta segunda-feira, na primeira partida dos times no returno da Superliga masculina de vôlei. Mesmo jogando fora de casa, a equipe comandada pelo técnico Giovane Gávio venceu por 3 sets a 1, com parciais de 25/22, 21/25, 25/20 e 25/20.

Uma das principais estrelas do Pinheiros, o ponta Giba contundiu-se no início do terceiro set, logo após sua equipe ter vencido a parcial anterior. O jogador lesionou o pé teve que deixar a quadra pulando em apenas uma perna e apoiado em membros da comissão técnica.

Com a vitória desta segunda-feira, o Sesi aumenta a vantagem na liderança da tabela da Superliga. A equipe conta agora com 31 pontos ganhos em 16 partidas disputadas: 15 vitórias e apenas uma derrota.

Já o time de Pinheiros aparece na quarta colocação, com 25 pontos somados: dez vitórias e cinco derrotas.

Exame não aponta fratura
Apesar do susto com a contusão de Giba não foi tão grave quanto parecia. Jogador se lesionou após disputar uma bola na rede, na qual caiu sobre o pé de Murilo, do Sesi, e torceu o tornozelo, deixando a quadra mancando e apoiado, Após realizar exame de Raio X, foi constatado que o jogador não possuí nenhuma fratura no pé machucado. Apesar disso, o exame apontou que o jogador teve uma lesão ligamentar, o que o impede de entrar às quadras por algum tempo.

"Já fizemos o exame de raio x e não foi constatada fratura na avaliação, que era o que mais preocupava. O Giba sofreu uma lesão ligamentar no tornozelo direito. Vamos tratar e vai ficar tudo bem", disse o Dr. Julio Nardelli, médico responsável pela equipe do Pinheiros/SKY e que acompanhou o atleta no hospital.

Sobre o tempo necessário para  recuperação do atleta, o médico disse que será preciso observar a evolução do quadro de lesão do atleta nos próximos dois dias, para só aó poder dar um veredicto sobre o tempo que ele ficará afastadp das quadras.

"Precisaremos das primeiras 24 ou até 48 horas para dar um prognóstico real e falar sobre o tempo necessário para ele voltar a jogar. O local ainda está bastante inflamado, em fase aguda, e quando diminuir a inflamação faremos uma ressonância para saber quando ele retorna. Mas, a princípio, ele fica no mínimo três semanas afastado", continuou Nardelli

Vipcomm
Giba deixou a quadra lesionado e seu time acabou derrotado

 *Com Gazeta Esportiva

Leia tudo sobre: sesipinheirossuperliga masculina de vôlei

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG