Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Seleção vê Brasil mal-acostumado e valoriza vaga em Londres 2012

"O importante ali era a vaga olímpica, naquele momento", disse Dante. Equipe foi bronze na Copa do Mundo

Gazeta |

Divulgação/FIVB
Seleção brasileira sobe no terceiro lugar do pódio na Copa do Mundo
O terceiro lugar do Brasil na Copa do Mundo masculina de vôlei foi tratado como decepção pela torcida, mas não pelos jogadores da seleção, conhecida do público por dominar o cenário mundial nas últimas temporadas. A medalha de bronze na competição no Japão garantiu a equipe, ao lado de Polônia e Rússia, nas Olimpíadas de Londres-2012, fato valorizado pelos atletas nacionais.

"Avalio que a gente acostumou mal os brasileiros, a só ter medalha de ouro e quando tem uma prata ou um bronze é a coisa mais ridícula do mundo. Eu não vejo bem assim", afirmou o ponteiro Giba, nesta quinta-feira em São Paulo, durante o lançamento da temporada 2011-2012 da Superliga masculina.

Antes de embarcar para o Japão onde disputou a Copa do Mundo, a seleção do técnico Bernardinho traçou como prioridade um lugar entre os três primeiros colocados da competição, para assegurar a vaga em Londres. Bicampeã da competição, a equipe também esperava lutar pelo tricampeonato, o que não foi possível por conta de derrotas para Itália, Cuba e Sérvia e pontos desperdiçados contra adversários mais fracos, como a China.

"Ninguém é imbatível, só a gente sabe o quanto é difícil se manter no topo o tempo inteiro. Fomos para o Japão, pensando que primeiro, segundo ou terceiro lugar não importava. O importante ali era a vaga olímpica, naquele momento", disse Dante, que contundido não pôde atuar em todas as partidas.

"Nossa grande virtude nesses dez anos de seleção era ter os 12 jogadores prontos para entrar e este ano na Copa do Mundo não tivemos isso, porque eu tive a confusão e fiquei fora", completou, lembrando que isso causou ainda mais desgaste ao time em uma competição de pontos corridos e jogos quase todos os dias.

Entretanto, a vaga olímpica foi exaltada. "Não estamos tão acostumados a pontos corridos. E nos outros torneios, o Brasil sempre perdeu uma ou outra partida e cresceu nas finais. Na Copa do Mundo também foi assim. O time cresceu quando era para decidir e se classificou e isso é o importante", comentou o central Lucão. 

Leia tudo sobre: copa do mundo de vôleilondres 2012gibalucãodante

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG