Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Rússia repete final de 2006, bate o Brasil e conquista o título mundial

O Brasil saiu na frente, mas não conseguiu parar a gigante Gamova, de 2,02m, maior pontuadora da partida

Aretha Martins, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860236501&_c_=MiGComponente_C

A seleção brasileira feminina de vôlei amarga mais um vice-campeonato mundial. Na reedição da final de 2006, a seleção comandada por Zé Roberto perdeu por 3 sets a 2, com parciais de 25/21, 17/25, 25/20, 14/25 e 11/15, em uma hora e 58 minutos de jogo em Tóquio, capital do Japão. Foi o terceiro confronto decisivo entre Brasil e Rússia em grandes campeonatos e a terceira derrota do time nacional, qua já havia sido batido na semifinal olímpica em Atenas e no Mundial de 2006.

Neste domingo, o Brasil foi superior na primeira e na terceira parciais e não se intimidou com as gigantes russas, com média de altura de 1,86m. Para vencer as rivais, a seleção amorteceu as bolas no bloqueio, recuperou na defesa e se aproveitou dos contra-ataques.

Entretanto, o time nacional ficou atrás no segundo set, quando sofreu na recepção, e teve uma pane na quarta parcial, errando muito na virada de bola e abaixando a cabeça. No set decisivo, o Brasil começou mais vibrante e dando pinta que mudaria a história recente, mas sofreu para marcar o ataque russo, viu Gamova, gigante de 2,02m virar todos os ataques e foi derrotada.

A russa Ekaterina Gamova foi o grande nome dessa partida. Ela praticamente não foi parada pelo bloqueio nacional e marcou 35 pontos (29 no ataque, quatro no bloqueio e dois no saque). Do lado brasileiro, a maior pontuadora foi Sheilla, com 26 acertos (23 ataques, um no bloqueio e dois no saque). As russsas ainda foram melhores no bloqueio, com 15 pontos contra 11 das brasileiras. E as atletas de Zé Roberto erraram mais, dando 22 pontos de graça. As russas falharam 11 vezes.

Divulgação
Rússia faz festa no lugar mais alto do pódio no Mundial


A seleção russa chega invicta ao segundo título consecutivo e o sétimo em sua história, contando com as vitórias da antiga União Soviética. Já o Brasil ficou com a terceira medalha de prata, depois dos vices em 2006 e 1994. O Japão, que venceu os Estados Unidos, conquistou com a medalha de bronze. O próximo Campeonato Mundial será na Itália, em 2014.

O jogo
A seleção brasileira começou a partida encaixando o saque e quebrando a recepção russa e se aproveitando dos contra-ataques. Com quatro ataques de Natália e um de Sheilla e um ace de Thaísa, o Brasil abriu 6 a 1 (8 a 3 no primeiro tempo técnico). Na sequência, com três pontos de Jaqueline, a vantagem passou para 10 a 3. A Rússia tentou encostar com dois erros de ataque do Brasil e, depois de quatro pontos seguidos, com três de Gamova, chegou a 13 a 11. Com saque de sokolova e erro de recepção de Jaqueline, a Rússia encostou e, 14 a 13, mas com dois erros, viu o Brasil se recuperar até o segundo tempo técnico (16 a 13).

As brasileiras retomaram a distância no placar com o saque de Sassá, que entrou no lugar de Fabiana. Com contra-ataque de Jaqueline e definição de Fabíola depois de ua bola que voltou de graça, o Brasil fez 20 a 15. Entretanto, a Rússia fez uma sequência de pontos com o saque de Startseva, que quebrou a recepção nacional. Com dois aces da levantadora e dois erros de ataque do Brasil, as europeias empataram em 21 a 21. Mas o Brasil virou com Sheilla e chegou ao set point no ace de Jaqueline. Para fechar, um ataque habilidoso de Sheilla, explorando a muralha russa (25 a 21).

A Rússia começou melhor no segundo set, fazendo 4 a 1 e, depois, 7 a 3 com bons saques e a segurança dos ataques de Gamova, gigante de 2,02m. As brasileiras buscaram com volume de jogo na defesa e largada de Jaqueline e ataque de Sheilla (7 a 5), mas as russas chegaram na frente ao primeiro tempo (8 a 5). E as atuais campeãs do mundo distanciaram de novo no placar com dois bloqueios da centra, Borodakova e um erro de armação de Fabíola com a central Fabiana (13 a 8).

O Brasil reagiu e chegou ao 13 a 11 no primeiro bloqueio para cima de Gamova, com a jovem ponteira Natália. Mas, depois disso, empacou. A Rússia disparou no placar e chegou a 19 a 11, com direito a três bloqueios. A seleção só voltou a pontuar com Fabiana na China, em seu primeiro ponto no jogo. Apesar da variação das jogadas com as centrais, o momento era mesmo da Rússia, que fechou a parcial e empatou o jogo com a veterana Sokolova.

Na volta para a terceira parcial, a seleção seguiu usando a jogada de meio e Fabiana se destacou. A capitã marcou três vezes no ataque e, com erro de ataque russo, o Brasil marcou 7 a 4. As russas encostaram em 7 a 6 no ataque de Kosheleva que bateu no bloqueio nacional e foi fora, mas em seguida, elas tocaram na rede e a equipe brasileira foi para o tempo em vantagem (8 a 6). Depois, Jaqueline cresceu na rede. A ponteira marcou nos contra-ataque e bloqueou Gamova (11 a 6).

Aí foi a vez de Sheilla. A oposta fez dois pontos no ataque e um ace e colocou o Brasil cinco pontos à frente (15 a 10). Sheilla ainda fez um belo bloqueio e aumentou a vantagem brasileira (20 a 14). Mas, ela levou dois bloqueios, o segundo em uma bola baixa da levantadora Fabíola, e a Rússia voltou, com 20 a 17. Entretanto, Sheilla estava virando bem e com um ataque no rosto de Sokolova, o Brasil fez 24 a 19. Depois, fechou na china da capitã Fabiana no 25 a 20.

Divulgação
Jaqueline vibra na final contra a Rússia. O Brasil chegou a liderar o placar por 2 sets a 1

No quarto set, as russas sairam na frente, usando mais uma vez a segurança de Gamova, e marcaram 8 a 4 no primeiro tempo técnico. O Brasil perdeu a pontência no ataque e viu as russas crescerem no bloqueio. Depois de um erro na bola de graça de Natália, o time europeu fez 12 a 6. A ponteira ainda levou um ponto de bloqueio e nos toques de Fabiana, em uma jogada que ela também já havia sido bloqueada, a Rússia marcou 16 a 8 na segunda parada técnica. As brasileiras pareciam abaladas em quadra e no saque de, com ajuda de erro de passe de Natália, as russas abriram 19 a 9. O Brasil só desempacou com meio fundo de Sheilla, marcando o 10º ponto (20 a 10). A seleção nacional ainda reagiu no final da parcial, segurando três set point, mas a Rússia fechou com Gamova em 25 a 14.

O susto do placar acordou as brasileiras, que chegaram mais vibrantes ao tie-break e sairam na frente. Com três pontos de Sheilla, a seleção fez 4 a 2. As russas empataram em 4 a 4 no bloqueio em cima de Fabiana. Mas a seleção abriu em 7 a 5 no erro russo, que encostou no bloqueio em cima de Jaqueline. Em uma bola de Sheilla que o árbitro marcou fora, a Russia empatou em 7 a 7. Pouco depois, conseguiu a virada em 9 a 8 e viu as russas marcarem 11 a 9. No contra-ataque de Gamova, a bola caiu no buraco da quadra brasileira e as europeias chegaram ao ponto do título em 14 a 11. E na bola de Gamova, a Rússia fechou o jogo e levou o segundo título consecutivo.

Divulgação
Líbero Fabi fica pensativa na quadra depois da derrota na final


Os melhores do Mundial feminino
1º - Rússia
2º - Brasil
3º - Japão
4º - Estados Unidos
5º - Itália
6º- Turquia
7º - Alemanha
8º - Sérvia
9º - Polônia
10º - China
11º - Holanda
12º - Cuba

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG