Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Pinheiros justifica dispensas com "projetos distintos"

Rodrigão e Marcelinho foram dispensados do time paulista na semana passada e têm futuro indefinido

iG São Paulo |

Uma semana após a dispensa do central Rodrigão e do levantador Marcelinho, o Pinheiros/Sky se pronunciou, por meio de uma nota oficial, a respeito da decisão do clube e da empresa patrocinadora em demitir os jogadores.

"O fato ocorreu por decisões estratégicas e projetos distintos apontados pelas partes envolvidas (jogadores, clube e patrocinador)", consta no comunicado. Rodrigão e Marcelinho foram comunicados pelo técnico Mauro Grasso e sua comissão de que não faziam mais parte dos planos da equipe após o treino da última quarta-feira, dia 22 de dezembro.

Na nota oficial, a equipe também agradeceu a participação dos atletas. "O Esporte Clube Pinheiros e a Sky, que sempre realizam as alterações necessárias em comum acordo, agradecem a importante participação dos jogadores que prestaram serviço à equipe desde o começo do projeto, em agosto de 2009, quando o Clube e a SKY se uniram para formar o time de vôlei", afirma.

Rodrigão e Marcelinho estão fora do time, mas ainda têm contratos com a patrocinadora até julho de 2012. Uma reunião na próxima semana com representantes do departamento jurídico da empresa decidirá a questão. O central, também por meio de uma nota oficial, adiantou o assunto. "Mesmo não tendo sido consultada sobre essa atitude, a Sky avalizou a decisão do Pinheiros e irá providenciar a rescisão do meu contrato, assumindo os encargos decorrentes dessa medida", disse Rodrigão.

Versão dos jogadores

De acordo com os jogadores, eles foram dispensados pelo Pinheiros/Sky por questões de comportamento. Rodrigão disse que Mauro Grasso alegou que ele não estava motivado o suficiente e que não conseguia mais motivar o central. "Apesar de respeitar a decisão do Pinheiros e da Sky, quero deixar claro que não concordo com os motivos alegados. Não sou um jogador de me acomodar e aceitar passivamente quando os resultados esperados não acontecem. Talvez essa minha característica tenha sido compreendida de outra forma pelas pessoas do Pinheiros", explicou.

Ele também fez questão de frisar que o seu empenho em montar uma equipe adulta de vôlei em Santos não interferia em seu trabalho com o Pinheiros. "Manifestei essa minha intenção claramente desde o início e a diretoria da Sky esteve sempre ciente e, em momento algum, esse fato foi colocado como motivo de minha dispensa", disse.

Já Marcelinho, também em nota, disse que Mauro Grasso o achava triste e desmotivado e, por isso, o dispensou. "Ele nunca veio falar sobre isso comigo. Desmotivado eu não estava, não havia motivo pra isso, mas concordo que estava triste, sim, e não poderia ser diferente, os resultados não estavam aparecendo e todo o grupo estava muito incomodado com essa situação", justificou.

Futuro dos jogadores

Rodrigão e Marcelinho seguem com o futuro indefinido. Como já defenderam o Pinheiros nesta Superliga, não podem mais fechar com nenhum outro clube brasileiro na temporada.

Leia tudo sobre: rodrigãopinheirosmarcelinhovôlei

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG