Levantadora do Unilever já havia anunciado que disputaria apenas uma edição da Superliga Feminina

Divulgação CBV
Fernanda Venturini fez último treino da carreira nesta sexta-feira
O treinamento do Unilever nesta sexta-feira, no ginásio do Maracanazinho, teve um sabor especial para uma de suas jogadoras. A levantadora Fernanda Venturini confirmou que irá se aposentar definitivamente após a final da Superliga Feminina, neste sábado, contra o Sollys/Nestlé, no Rio de Janeiro. É a quarta vez que ela encerra a carreira.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

A decisão já havia sido tomada desde que a levantador decidiu abandonar a aposentadoria, no início da temporada, em maio do ano passado. Após pedidos do marido e técnico do Unilever, Bernardinho, a jogadora de 41 anos aceitou atuar pelo time carioca e preparar a reserva Roberta para assumir a posição.

Leia mais: Finalistas, Rio e Osasco superam lesões e ‘uma jogadora a menos’

“Vai ser a última aposentadoria mesmo. Hoje fiquei olhando as meninas, as coisas passam pela cabeça. Era o último aquecimento, o último treinamento. Falei com a minha filha que amanhã não tem mais trabalho, que agora é só o papai. Ela adorou”, disse Fernanda Venturini, dona de uma medalha de bronze nas Olimpíadas de Atlanta, em 1996.

Veja mais: Final da Superliga reúne musas. Relembre as belas das quadras brasileiras

O tempo livre sem treinamentos e jogos já está ocupado na agenda da levantadora. As pequenas Julia e Vitória, de 10 e 2 anos, respectivamente, terão que dividir a atenção da mamãe com as sessões de fisioterapia, tudo por conta dos anos dedicados ao esporte. Venturini garante que apesar de emocionante, o final da carreira não será de lágrimas.

Veja também: Oitava final igual faz Superliga ter um time de 'vira-casacas'

“Agora vou me recuperar das últimas lesões que o vôlei deixou, das dores, e ficar com minha família, ter tempo para eles. É uma aposentadoria diferente, tenho minha vida fora do vôlei, uma estabilidade financeira maior que antes, minhas filhas. Vai ser emocionante, mas faz parte. Não será triste porque é algo que eu quero, que estava definido”, disse a levantadora do Unilever.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.