Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Para Murilo e Bruninho, primeiro set decidiu a vitória da Cimed

Time catarinense venceu por 3 a 0 e Murilo ainda disse: ""Tem dias que não há treinador ou santo que faça a equipe voltar"

Aretha Martins, iG São Paulo |

Rivais em quadra, mas com a mesma opinião fora dela. Para Murilo, do Sesi, e para Bruninho, da Cimed, o primeiro set foi determinante para a vitória da equipe de Florianópolis por 3 sets a 0 (27/25, 25/22 e 25/20) na noite de quinta-feira, em partida válida pela sexta rodada do returno da Superliga masculina 2010/2011. 

"Acho que o primeiro set que acabou decidindo a partida. A gente podia ter matado, mas eu acabei hesitando em atacar uma bola de cheque. Eu recuperei a bola e acabei errando o contra-ataque e eles encostaram. O Anderson entrou, foi para o saque e fez praticamente dois aces, um direto e no outro, a bola estourou. Acho que a gente acabou desestabilizando muito emocionalmente, querendo fazer, afobado, saindo da nossa característica e eles souberam se aproveitar", analisou Murilo.

O Sesi chegou à parte final da parcial com 20 a 17 no placar e viu a Cimed empatar em 23 a 23 e logo depois, virar e vencer o set. "Quando a gente virou, criou uma insegurança na equipe deles. A gente montou uma estratégia e eles começaram a duvidar um pouco do que estavam fazendo", afirma o levantador Bruninho.

Para ele, a atuação catarinense no bloqueio também foi importante. "Nosso bloqueio estava chegando, estava encostando e isso foi importante e vai minando o adversário. Eu sei porque quando eu estou num jogo, estou levantando, e os caras estão tocando em todas as bolas isso vai me deixando preocupando e pensando: “o que eu faço agora”. Isso vai criando uma insegurança".

Bruno ainda elogiou o ritmo que a Cimed impôs ao jogo: "A gente poderia ter levado para o segundo set em banho maria, mas não. A gente falou: “ se a gente quiser deslanchar, tem que ser agora”. Depois, em nenhum momento, a gente tirou o pé do acelerador", completou.

Depois da virada, os catarinenses foram superiores e venceram sem problemas as demais parciais. "Tem dias que é assim, a gente perde a cabeça e desconcentra e não há treinador ou santo que faça a equipe voltar", disse Murilo. Bruninho foi eleito o melhor em quadra e ponteiro do Sesi, apesar da derrota, foi o maior pontuador, com 17 acertos.

Divulgação
Central Éder marca ponto para a Cimed diante do Sesi na Superliga masculina

Briga pela liderança

Com a vitória, a Cimed roubou do Sesi a liderança da tabela. "Nosso objetivo é chegar em primeiro ou o mais perto disso. Nós tivemos as derrotas em casa, buscamos os resultados, mas esse aqui era fundamental. Se nós perdêssemos hoje, o primeiro lugar ficaria muito distante ou não estava mais nas nossas mãos porque dependeríamos não das nossas vitórias, mas das derrotas do Sesi", explicou Pacheco, técnico catarinense.

Já Murilo quer chegar na frente aos playoffs, mas discorda do treinador rival. "A importância do jogo era os dois times que vão brigar para classificar em primeiro. Mas pensando em playoffs, eu não sei se vai valer a pena ficar em primeiro ou em segundo ou em terceiro porque algum time vai cruzar com o Vôlei Futuro, que não está bem, mas é uma equipe que tem um potencial muito grande. Ou vai cruzar com o Minas ou com o Londrina, que é uma surpresa. Acho que ao ficar em primeiro, você vai ter a vantagem do mando de campo, não vai ter mais nenhuma vantagem nesse ano", falou o melhor jogador do mundo.

Leia tudo sobre: cimedsesisuperliga masculina

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG