Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Para Giba, cirurgia será momento mais duro para trabalhar a cabeça

Ponteiro ainda se recupera de uma fratura por estresse na tíbia da canela esquerda e não jogou nesta temporada

iG São Paulo |

Divulgação
Por enquanto, Giba só vestiu a camisa da Cimed/Sky fora de quadra durante a Superliga
O ponteiro Giba, destaque da seleção brasileira e reforço da Cimed/Sky para a temporada, terá que passar por algo inédito na carreira: uma cirurgia. O jogador tem uma fratura por estresse na tíbia da canela esquerda e irá colocar uma haste dentro do osso.

"Está sendo o momento mais difícil para trabalhar a minha cabeça, mas se o problema existe, temos de encontrar a solução. É mais uma dificuldade que vou ter de superar na minha vida", afirmou Giba.

Ter que passar por uma cirurgia depois de 20 ano de vôlei preocupa o jogador. "Nunca precisei enfrentar isso, e essa é a minha principal angústia. Fiz uma excelente temporada com a seleção no ano passado. Mas tudo bem, a cirurgia vai ser mais uma lombada que terei de passar por cima", falou.

O ponteiro foi destaque do Brasil na Copa do Mundo e ajudou a seleção a conquistar a última vaga do torneio para as Olimpíadas de Londres. Entretanto, Giba já sentia incômodo no local desde o campeonato anterior, o Sul-Americano. Na Copa do Mundo, já no final do ano, como jogou 11 partidas em 14 dias, a lesão se agravou.

Giba ainda não atuou nesta temporada. Ele foi contratado como destaque da Cimed/Sky, na função do time catarinense com o antigo patrocinador do Pinheiros, e não pode entrar em quadra na Superliga. A previsão inicial era de que ele ficaria 45 dias de repouso e a equipe estava otimista em relação à recuperação, sonhando em contar com o jogador nos playoffs do torneio nacional.

Porém, depois de dois meses fazendo o tratamento convencional com fisioterapia e aplicação de gelo, a lesão melhorou em 40%. "Esperávamos uma recuperação mais rápida. Se fosse o osso posterior, já teria fechado, mas como o osso é o anterior, que recebe maior parte da tensão do corpo para fora e força mais, não deu o resultado esperado", explicou Giba.

A previsão é que ele volta a jogar em dois meses. A cirurgia na canela será no dia 13 de fevereiro, no Rio de Janeiro, com Ney Pecegueiro, médico da seleção. "Com o tratamento convencional, a previsão era de quatro meses, mas com a cirurgia, esse tempo diminui pela metade. Talvez em dois meses eu já possa voltar a jogar. Quem sabe eu esteja nos playoffs finais da Superliga masculina", comentou. Giba também ainda sonha em jogar a Liga Mundial, a partir de 18 de maio, e as Olimpíadas de Londres, em julho.

Leia tudo sobre: gibacimed/skyseleção masculina de vôleisuperliga

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG