Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Na semi do Mundial, Brasil esquece final de 2006 e foca no presente

Jogadoras da seleção nacional dizem que a derrota para as russas ficou para trás, mas rivais podem se reencontrar no domingo

Gazeta Esportiva |

Há quatro anos, também no Japão, mas na cidade de Osaka, a seleção brasileira decidiu o título mundial de vôlei com a Rússia. Na final, o time verde e amarelo perdeu por 3 sets a 2. Do grupo atual, seis jogadoras participaram da campanha de 2006: Fabi, Fabiana, Sassá, Jaqueline, Sheilla e Carol Gattaz. Na véspera da semifinal do Mundial deste ano, elas dizem que a derrota para as russas ficou para trás.

"2006 faz parte do passado. O grupo é outro e a situação também. Estou focada no presente. Vamos nos esforçar ao máximo para passar do Japão e lutar pelo título contra Rússia ou Estados Unidos", comentou a capitã Fabiana.

"Tenho orgulho de ter feito parte da equipe no Mundial de 2006, mas agora o momento é outro e o grupo também. Não existe essa de aumentar a vontade de conquistar o título porque perdemos da última vez. Queremos muito este título porque sabemos que é muito importante para o Brasil, porque trabalhamos muito durante o ano todo e sabemos que temos condições de vencer. Estamos muito felizes pela oportunidade de disputar mais um Mundial", completou a líbero Fabi, jogadora mais experiente da seleção.

Para continuar com o sonho de ser campeão mundial pela primeira vez, o Brasil enfrenta o Japão na manhã deste sábado, a partir das 7h (horário de Brasília), nas semifinais. Técnico da seleção também em 2006, Zé Roberto disse encontrar uma situação totalmente diferente neste ano, uma vez que todas as jogadoras estão em boas condições físicas, ao contrário do que aconteceu na última edição do torneio.

"Agora a história é diferente. O clima é outro. No último Mundial, a Fofão e a Fabiana se machucaram e não puderam estar em quadra durante toda a competição. Hoje, está todo mundo bem. Uma dor aqui, outra ali, mas nada preocupante. Estou mais tranquilo em relação à integridade física das jogadoras. Isso é muito importante", concluiu o treinador.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG