Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Mergulho no mar é o "segredo" de Fabi para final da Superliga

Carioca, líbero do Unilever revela como controla a ansiedade nas horas que antecedem a decisão

Renan Rodrigues, iG Rio de Janeiro |

O treino na manhã desta sexta-feira, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, foi o último contato com bola das jogadoras de Unilever e Sollys/Nestlé até a grande final da Superliga Feminina , neste sábado, às 10h (horário de Brasília), no mesmo local. As horas até o apito inicial do árbitro são de ansiedade, mas a líbero Fabi, do time carioca, já tem uma antiga tradição para relaxar.

FOTOS: VEJA AS MUSAS QUE ESTARÃO NA FINAL E RELEMBRE QUEM JÁ ARRANCOU SUSPIROS

“Vou dar um mergulho no mar é uma tradição que eu tenho. Hoje vou no Leme, que é onde fica o hotel que o time vai ficar concentrado. Normalmente vou em Ipanema, perto da minha casa, mas é o mesmo mar, então está valendo. Ver os amigos também ajuda a relaxar”, disse Fabi, que admite conseguir diminuir apenas um pouco da tensão.

OPINE: Quem leva a melhor no duelo de musas? Sollys, de Jaqueline, ou Unilever, de Sheilla?

Vipcomm
Carioca, Fabi gosta da praia de Ipanema
“É normal dormir uma ou duas horas a menos, acontece com todo mundo. Normalmente levo mais tempo para pegar no sono e acordo antes do despertador. Não tem como fugir do clima, a gente vê até na própria torcida essa ansiedade”, destacou a jogadora.

DECISÃO: Finalistas, Rio e Osasco superam lesões e ‘uma jogadora a menos’

A ligação de Fabi com o Unilever e a torcida é ainda maior em comparação com as outras jogadoras. No time desde 2004, apenas ela e a também líbero Juju são cariocas. Apaixonada pelo Flamengo, clube de coração, ela admite que também virou torcedora da própria equipe que defende.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

“Sempre joguei no Rio de Janeiro, já defendi times do interior, Flamengo, Vasco, mas sempre aqui. Atuar num time grande, de tradição, na cidade que nasceu, é muito bom. É uma paixão igual a que tenho pelo Flamengo”, disse, sem esconder a frustração pela eliminação da equipe na Libertadores. “Já fui provocada pelas outras meninas, você também? (risos). Claro que eu vi o jogo, mas vamos falar de outra coisa, vai. Quero esquecer aquilo”, brincou a levantadora.

Leia tudo sobre: SuperligaUnileverSollys/Nestlé

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG