"O que eu quero é jogar e acho que lá terei esse espaço. Quero voltar a ser o velho Thiago", diz o ponteiro ao iG

Divulgação/CBV
Thiago Alves estpa no grupo brasileiro que encara os Estados Unidos na Liga Mundial
Thiago Alves, ponteiro da seleção brasileira e tetracampeão nacional, anunciou na semana passada que jogará a próxima temporada no voleibol japonês. A decisão do jogador de defender o Panasonic Panthers surpreendeu os torcedores. Em entrevista exclusida ao iG, o jogador explica como foi parar no Japão e diz que times grandes da Itália ficam com "medo de investir" em atletas que ainda desconhecidos.

"Eu queria ir para um campeonato melhor (como a Itália), mas as pessoas ainda não me conhecem lá fora. Eu já fui para a seleção, mas ainda não joguei muito e tenho consciência disso. Então, os times poderiam ficar com medo de “investir” em um jogador pouco conhecido", explica Thiago, que ainda fala que até poderia ter um contrato na Europa, mas por um salário abaixo de suas expectativas.

Antes de partir para o exterior, o jogador teve uma conversa com o Sesi, time que defendeu na temporada 2010/2011. "Comecei a conversar no Sesi, eles chegaram a fazer uma proposta e eu não respondi na hora. Quando fui falar com eles, eles já tinham contratado outro ponteiro, que era o Léo Mineiro e eu fui para o mercado, acabei sobrando", conta.

Diante da dificuldade em acertar com o vôlei italiano, ele e o empresário procuraram alternativas, como a Turquia, mas o país reduziu o número de estrangeiros por equipe. Foi então que apareceu a proposta japonesa.

"Sei que é um campeonato mais fraco, mas as coisa estão mudando muito lá nos últimos anos. Eles estão fazendo intercâmbio e aprendendo muito, até com os brasileiros. Além disso, é apenas um estrangeiro por time, então, você acaba virando a referência", diz Thiago, esperançoso em relação ao futuro.

"Eu tive uma temporada muito complicada e agora o que eu quero é jogar muito e treinar muito e lá acho que terei esse espaço, de ficar o tempo todo em quadra", completa. O atacante passou por uma atroscopia no joelho esquerdo e ficou dois meses longe das quadras. Ele ainda lembra que, caso fechasse com um time europeu, poderia ter mais chances de ficar no pouco e não ser tanto utilizado, o que prejudicaria a volta à forma ideal.

"Desde que voltei a jogar, na Superliga e com a seleção, já perdi mais ou menos uns cinco quilos. Estou trabalhando e quero voltar a ser o velho Thiago", afirma.

Thiago Alves foi campeão da edição 2010/2011 da Superliga com o Sesi
Divulgação/CBV
Thiago Alves foi campeão da edição 2010/2011 da Superliga com o Sesi

Referências com amigos

Thiago Alves atualmente defende a seleção na Liga Mundial e, na equipe de Bernardinho, atuou ao lado de dois jogadores que passaram pelo Japão: João Paulo Tavares, cortado depois dos jogos no Brasil, e Théo, que segue na equipe.

"Converso com eles todos os dias. E eles voltaram muito bem para o Brasil. Estou muito feliz com a minha escolha e empolgado com o que vou encontrar e como vou trabalhar por lá".

Mesmo com tanta confiança, Thiago Alves já pensa em uma possível volta ao País. "É diferente de jogar na Itália, onde os contratos são de dois ou três anos. Lá o meu contrato será de um ano e, depois desse tempo, se não der certo, posso voltar logo para o Brasil. E ainda estarei 'zerado' no ranking e será mais fácil para negociar", diz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.