O central tinha contrato de dois anos com o Araçatuba e pagará multa para sair do time paulista

Lucão está concentrado com a seleção brasileira em Saquarema e se prepara para a Liga Mundial
Divulgação/CBV
Lucão está concentrado com a seleção brasileira em Saquarema e se prepara para a Liga Mundial
A equipe RJX, criada pelo empresário Eike Batista e com sede no Rio de Janeiro, fechou nesta quarta-feira com o central Lucão, que está concentrado com a seleção brasileira em Saquarema. O jogador tinha um contrato de dois anos com o Vôlei Futuro e terá de pagar uma multa à equipe. O valor não foi divulgado.

"Meu contrato era de duas temporadas, mas poderia ser rescindido com o pagamento de uma multa, o que será feito. Além disso, a direção foi informada desde o momento em que recebi a proposta e também comunicada de minha decisão antes que ela viesse a público. De minha parte e do meu agente, o Douglas Sousa, tudo foi conduzido com profissionalismo e de forma a evitar qualquer tipo de desgaste", afirmou o central.

Lucão havia se transferido para o Vôlei Futuro depois de ser campeão brasileiro com o elenco da Cimed. Entretanto, ele perdeu parte da temporada 2010/2011 depois de sofrer uma fratura na mão esquerda durante um treino e passar por uma cirurgia.

Na sua saída, o central lembrou o apoio recebido durante a recuperação. "Quero agradecer o apoio dos torcedores, da direção do Vôlei Futuro e dos moradores de Araçatuba, que me receberam com todo carinho e sempre estiveram ao meu lado, principalmente no momento mais difícil, que foi a cirurgia no final do ano passado", disse.

Para o jogador, valeu a mudança de clube na última temporada. "A temporada foi boa, pois participamos de três competições e subimos ao pódio de todas, com os títulos do Campeonato Paulista e dos Jogos Abertos do Interior (disputados em novembro em Santos) e o terceiro lugar da Superliga”, lembrou.

Lucão levou o bronze com o Vôlei Futuro na Superliga 2010/2011
Divulgação/CBV
Lucão levou o bronze com o Vôlei Futuro na Superliga 2010/2011

Agora, o projeto de Eike Batista de fazer do RJX um time de alto nível no Rio de Janeiro o seduziu. "A proposta que recebi foi excelente, mas o que mais pesou, sem dúvida, foi o projeto, que é maravilhoso, com pessoas que, além de grandes profissionais, são também meus amigos. E o desafio de estar em uma equipe nova, que vai representar o Rio de Janeiro depois de tantos anos, também teve uma influência enorme em minha decisão de aceitar essa transferência”.

O RJX ainda deve contar com outros jogadores da seleção brasileira, como o ponteiro Dante, que foi vice-campeão russo e terceiro na Liga dos Campeões da Europa com o Dínamo Moscou; o levantador Marlon, que estava no Vivo/Minas; o oposto Théo, quie estava no vôlei japonês, e o líbero Alan, ex-Londrina.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.