Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Líbero Sérgio Escadinha anuncia aposentadoria da seleção

Jogador sofria com fortes dores nas costas desde o ano passado e acabou cortado da Liga e do Mundial

Aretha Martins, iG São Paulo |

Divulgação
Serginho defende o Sesi-SP na Superliga 2010/2011
O líbero Sérgio Escadinha, de longa história na seleção brasileira de vôlei, anunciou que não atenderá mais as possíveis convocações do técnico Bernardinho. Já experiente e convivendo com graves lesões nos últimos meses, o atleta afirmou não termais condições físicas de representar o Brasil, e vê o elenco em um momento de renovação que é favorável à sua decisão.

"Já conversei com ele (Bernardinho). A minha intenção é não continuar na seleção, já dei minha contribuição e não sei se seria mais útil", afirmou Escadinha, em entrevista ao "Sportv". "A seleção vem conquistando muito e precisa ser renovada", analisou.

O líbero, que defende o Sesi na Superliga 2010/2011, passou por uma cirurgia na coluna para a retirada de uma hérnia de disco no ano passado. Ele ficou cinco meses parado e acabou cortado da Liga Mundial e do Campeonato Mundial de 2010. Mário Jr, jogador do Vôlei Futuro, ocupou o seu lugar nas duas competições, vencidas pelo Brasil.

Sérgio Escadinha já pensava em deixar a seleção desde a sua volta às quadras depois da operação. "Eu nunca tive lugar cativo na seleção", disse o jogador na apresentação desta temporada da Superliga, em outubro de 2010. Na época, ele já falava em tom de despedida. "Seleção é uma coisa a se pensar, não sei se continuo a minha trajetória lá. Eu não quero atrapalhar".

Na peóca, logo depois da conquista do tricampeonato mundial na Itália, o líbero elogiou a atuação de seu substituto. "Mário Jr não fez um Mundial tão brilhante, mas fez uma semifinal e uma final brilhantes”, afirmou.

Serginho fez história na seleção brasileira. Parte do time desde 2001, quando Bernardinho assumiu o comando, ele colecionou títulos de melhor líbero do mundo, inclusive ganhou o prêmio na campanha do ouro nas Olimpíadas de Atenas, e foi eleito o melhor jogador da Liga Mundial de 2009. Foi a primeira vez que um líbero faturou esse prêmio individual.

Agora, longe da seleção, ele segue atuando pela equipe do Sesi-SP, ainda que tenha confessado no mês passado que seu corpo, aos 35 anos, tem cada vez menos condições de render o máximo como anteriormente por conta dos problemas físicos.

*com Gazeta Esportiva

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG