Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

José Roberto Guimarães se despede de 2010 com a cabeça nas Olimpíadas de Londres

Seleção encerrou a temporada com o vice-campeonato no Mundial e volta a se concentrar em maio do ano que vem

Aretha Martins, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860380349&_c_=MiGComponente_C

A seleção brasileira feminina de vôlei chegou ao Brasil nesta terça-feira depois da prata no Campeonato Mundial feminino, e o técnico José Roberto Guimarães já está com a cabeça em temporada 2011. As jogadoras voltam a se reunir com a seleção apenas em maio do ano que vem, mas o treinador já traça metas.

No ano que vem, o campeonato importante será o Sul-Americano, que é classificatório para as Olimpíadas. Também tem a Copa do Mundo e o Grand Prix, mas a classificação para Londres é que mais importa, afirma José Roberto Guimarães. Estamos a um ano e meio dos Jogos, o objetivo principal desse grupo. É onde a gente tem que planejar e treinar para que tudo dê certo, completa.

No Mundial, o Brasil pôde conhecer um pouco mais sobre as equipes que devem estar no caminho do time até o sonhado bicampeonato olímpico. O Peru, por exemplo, cresceu e jogou bem contra as equipes grandes, e a gente vai ter que tomar um cuidado muito grande no Sul-Americano, que é teoricamente o torneio mais simples. Depois tem a Copa do Mundo, que é a nossa segunda possibilidade de classificação para Olimpíada. A gente tem que pensar nas duas, analisa Zé Roberto.

Base formada para o próximo ano
Para as próximas competições, o técnico indica que a seleção deve ter poucas mudanças. A base é essa. Ficaram de fora do Mundial a Paula (Pequeno) e a Mari, mas elas estão dentro do projeto da Olimpíada, disse. As atacantes foram cortadas do torneio no Japão por causa de lesões. Vamos ver em maio, quando a gente voltar a treinar. Elas já estarão recuperadas porque vão participar da Superliga, falou Zé Roberto.

Segundo Jaqueline, ponteira do time nacional, a equipe para Londres 2012 começou a ser formada logo depois da conquista do ouro olímpico em Pequim. Essa é a base mesmo, e ainda estão aparecendo mais jogadoras novas por aí. Isso dá uma tranquilidade e um trabalho maior. Sabemos que vai ser muito mais difícil porque todo mundo vai querer bater o Brasil, alerta a atacante.

Já a líbero Fabi ressalta as qualidades da equipe brasileira. Temos o grupo e jogamos como um conjunto. No Mundial, cada uma foi destaque em um dia. Agora queremos mais. Queremos chegar forte às Olimpíadas, comenta.

A força do grupo da seleção também aparece fora da quadra. A gente vê uma harmonia muito grande. No dia de folga no Mundial elas pediram para jantar fora. Foram as 14 para o mesmo lugar. Não teve uma que desviou. Fico satisfeito, afirma Zé Roberto .

Exemplo do masculino
José Roberto Guimarães se espelha na seleção masculina para buscar títulos com as mulheres do Brasil. No feminino é um pouco diferente. Tem muita gente forte, que trabalha forte, e o domínio fica oscilando. A gente tem que fazer, como trajetória, a mesma coisa que o masculino, ganhando todos os jogos, diz o técnico.

Apesar de encerrar o ano com duas pratas, no Grand Prix e no Mundial, a seleção feminina se mantém no pódio nos últimos anos. Desde que Zé Roberto assumiu o comando, a equipe não recebeu medalhas apenas em uma competição, com o quinto lugar no Grand Prix de 2007. A gente encontra muitas dificuldades, mas o mais importante é a luta. Vale pela dedicação das jogadoras o tempo todo, explica.

Planos também para 2016
Segundo Zé Roberto, a equipe já está praticamente pronta para a Olimpíada de Londres. A Olimpíada de 2012, na nossa cabeça, ela já está aí, ela é muito próxima e não tem mais tempo. Tem muito treinamento ainda, mas já está aí, afirma o treinador, que já faz planos para os Jogos de 2016.

Temos que pensar em 2012 também, mas a gente tem que preparar uma seleção B para já pensar na próxima Olimpíada, no Brasil, fala Zé Roberto. A segunda equipe do Brasil contaria com jogadoras novatas, que ganhariam experiência disputando alguns torneios ao longo do ano. A seleção B poderia jogar a Copa Pan-Americana, o Top Four... O Montreux (torneio Montreux Volley Masters) será com uma seleção mesclada, explica.

A seleção brasileira retoma os trabalhos em maio de 2011. Agora, técnico e jogadoras tomam rumos diferentes. José Roberto Guimarães deve seguir no final de semana para a Turquia, para assumir o comando do Fenerbahce, que conta com a levantadora Fofão. As jogadoras também têm pouca folga. Fabíola, Natália, Jaqueline, Thaísa e Sassá, por exemplo, devem jogar as finais do Campeonato Paulista. E a Superliga começa ainda neste mês, no dia 27. Pouca folga e muito trabalho dentro e fora da seleção.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG