Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Homossexualidade ainda é tabu no esporte. Relembre casos

Michael, jogador do Vôlei Futuro, assumiu sua orientação sexual, como já haviam feito outros grandes atletas

Aretha Martins, iG São Paulo |

Michael, central ao Vôlei Futuro, assumiu ser homossexual depois de ter ouvido ofensas na primeira partida da semifinal da Superliga masculina 2010/2011. Mas ainda são poucos os atletas profissionais que assumem a sua orientação sexual. Relembre alguns casos

Lilico – ex-jogador de vôlei
O atacante assumiu ser gay primeiro para os colegas de time, em 1995, quando defendia o Banespa. Dois anos depois, ele conversou sobre a sua orientação sexual com a família. Em entrevista à Revista Época, pouco depois, ele afirmou ter sido bem recebido tanto pelos familiares quanto pelos times em que jogou.

Pouco antes das Olimpíadas de Sydney, entretanto, Lilico estava em boa fase na carreira e disse que não havia sido convocado para a seleção brasileira por ser gay.

Lilico morreu no começo de 2007, aos 30 anos, depois de complicações por causa de um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Getty Images
Greg Louganis ganhou cinco medalhas olímpicas

Greg Louganis – ex-saltador e campeão olímpico
Greg Louganis foi um ícone do salto ornamental nos Jogos Olímpicos, entre 1976 e 1988. Na sua primeira Olimpíada, já conquistou uma medalha de ouro, com apenas 17 anos. Ao todo, foram quatro ouros e uma prata na carreira olímpica.

Ele se aposentou após os Jogos de Seul e, na década de 90, assumiu ser gay e, pouco depois, disse que havia contraído o vírus HIV. De acordo com reportagem da revista "People", Louganis tem boa saúde atualmente, toma 10 pílulas de remédios diversos por dia e não deixou as atividades físicas, nem se afastou do esporte.

 Greg Louganis será, nos Jogos Olímpicos de 2012, mentor do time dos Estados Unidos de saltos ornamentais para ajudar o país e subir ao pódio. Além disso, ele tem um programa para ensinar jovens atletas.  

Getty Images
Fashanu foi o 1º jogador de futebol inglês gay a se assumir

Justin Fashanu – ex-jogador de futebol
Fashanu foi o primeiro jogador inglês de futebol a assumir a sua orientação sexual. Em 1990, ele ganhou a capa do jornal “The Sun” com a manchete “£1m Football Star: I AM GAY” ("Estrela do futebol de 1 milhão de libras: Eu sou gay", em português).

Os jogadores, entretanto, não receberam bem a notícia e chegaram a dizer que os gays não teriam lugar nos esportes em equipe. Fashanu também teve que conviver com constantes piadas sobre a sua orientação. Ele viveu um declínio nos gramados e até trocou os campos ingleses pela Nova Zelândia.

Em 1998, após a sua aposentadoria, o ex-jogador foi suspeito de ter agredido sexualmente um jovem de 17 anos. Porém, ele foi interrogado e nada foi provado. Meses depois, ele cometeu suicídio.

Reprodução
Anton Hysen assumiu ser gay em março deste ano

Anton Hysén – jogador de futebol da Suécia
Em março deste ano, Anton Hysén, aos 20 anos, assumiu ser gay. Ele é o primeiro jogador de futebol sueco a falar publicamente sobre a sua homossexualidade. Ele disse à revista “Offside” que sabe que o anúncio pode lhe trazer problemas nos gramados, mas espera que a sua atitude encoraje outros jogadores.

Hysén é de uma família tradicional do futebol. Ele atua como lateral-esquerdo no Utsiktens BK, da quarta divisão, time treinado por seu pai, Glenn Hysén, ex-zagueiro do Liverpool e da seleção sueca. O bisavô de Anton, Erik, foi campeão sueco pelo IFK Gotemburgo, um dos clubes mais tradicionais do país. Os irmãos do lateral, Alexander e Tobias, também são jogadores.

Getty Images
Gareth Thomas é recordista de partidas na seleção de rúgbi de País de Gales

Gareth Thomas – jogador de rúgbi
Thomas é um dos hérois do rúgbi no País de Gales. Em 2009, ele revelou a sua homossexualidade ao jornal inglês “Daily Mirror”. "Às vezes eu me sentia tão sozinho, não queria ser assim, queria me matar", disse à publicação. O jogador foi casado com uma mulher de 2002 a 2006 e a relação acabou quando ele se assumiu gay. Ainda assim, Thomas afirmou ter tido o apoio da ex-mulher e do seu país.

Gareth Thomas é recordista em jogos pela seleção de rúbgi do País de Gales. Depois de ultrapassar a marca de 100 partidas, ele se aposentou da equipe nacional e, aos 35 anos, segue defendendo o time Crusaders RL. “Eu não quero ser visto como um jogador de rúgbi gay. Eu sou um jogador de rúgbi e ponto. Eu sou um homem”, disse ao jornal. 

Leia tudo sobre: homossexualidademichalvôlei futuro

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG