Esperando um filho do ponteiro Murilo, jogadora só deve voltar ao vôlei no começo do próximo ano

selo

A seleção brasileira de vôlei feminino ganhou um grande desfalque para todos os compromissos do ano, mas a razão já é motivo de grande comemoração no vôlei brasileiro. A ponteira está grávida do melhor jogador do mundo, o seu marido Murilo, atleta do Sesi.

"Queríamos muito esse bebê. É a maior conquista que eu e o Murilo podíamos sonhar para esse ano, e chega num momento muito bom da nossa vida", disse a jogadora que ficou com o segundo lugar na Superliga, jogando pelo Osasco. Seu marido foi campeão com o Sesi no masculino.

Por conta da gravidez, Jaqueline não renovou com o Osasco. De início, especulava-se que ela acertaria com o recém-montado time do Sesi. Mas até que nasça seu primeiro filho, que deve vir ao mundo no fim do ano, ela ficará afastada do vôlei. "Quero curtir muito essa gravidez. vou me cuidar, claro, cuidar do bebê e de mim, porque quero voltar a jogar o mais rápido possível", disse a jogadora, que só deve fechar com uma equipe para o segundo turno e fase final da próxima Superliga.

Jaqueline já conversou com José Roberto Guimarães e foi dispensada do grupo que vai disputar uma série de torneios com a seleção brasileira este ano, entre eles a Copa Pan-Americana, o Grand Prix, o Campeonato Sul-Americano, os Jogos Pan-Americanos e, por fim, a Copa do Mundo, que dá três vagas olímpicas.

"Quero voltar à seleção brasileira para poder lutar pelo bicampeonato olímpico em Londres, no ano que vem", medalhista de ouro em Pequim. Murilo deve seguir normalmente com a seleção brasileira, que se prepara para disputar a Liga Mundial, já a partir do próximo dia 27.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.