Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Érika enaltece coragem da 'tia' Venturini e se diz perto do Sesi

Jogadora do Galatasaray negocia com time paulista e comenta com otimismo sobre a levantadora do Unilever

Gazeta |

Hexacampeã da Superliga, a ponteira Érika está perto de voltar ao voleibol nacional. Após uma temporada no Galatasaray, da Turquia, a medalhista de bronze nas Olimpíadas de Sydney-2000 tem muita chance de ser mais uma grande contratação do Sesi.

"A minha vontade é voltar ao Brasil. Viver fora é legal, mas aqui é a minha casa. Sobre o Sesi-SP, espero que saia uma decisão até amanhã. A gente está conversando, o projeto é bem bacana, principalmente a longo prazo, e será um grande desafio na minha carreira", expôs a mineira Érika, de 31 anos.

Na segunda-feira foram realizadas duas reuniões para tratar os últimos detalhes da negociação, que deve ser finalizada até o fim da semana.

Após o título nacional no masculino na temporada passada, o Sesi-SP decidiu criar uma equipe para as mulheres. Pelo menos no papel, a ala feminina não ficará devendo para Murilo, Wallace, Serginho e companhia.

Nomes de peso como Dani Lins, que estava na Unilever/Rio de Janeiro, e Fabiana, que jogou o último ano no Vôlei Futuro, estão certos. A central Walewska, que atua no vôlei russo, também está muito próxima de se juntar ao mais novo clube estrelado do Brasil.

Érika foi campeã nacional tanto pela Unilever, quanto pelo Osasco - times que fazem a final da Superliga há sete anos. Sobre a possibilidade de interromper a hegemonia da dupla, a maior pontuadora da história da competição mantém a cautela.

"O projeto é novo e, por isso, é melhor ir com calma. Mas a ideia, com certeza, é estar entre os melhores do país", analisou.

A respeito da nova volta da levantadora Fernanda Venturini às quadras, Érika foi só elogios à 'tia'. "A Fernanda é minha tia. Eu morei na casa dela e do Bernardo no início da carreira. Além disso, joguei na seleção com 18 anos e ela tinha dez a mais. Ela é uma pessoa muito corajosa. Voltar aos 40 anos pelo simples prazer de jogar é de se admirar. Tenho certeza que ela impressionará muito ainda", apostou.

Leia tudo sobre: vôleiÉrikaFernanda VenturiniSesisuperliga feminina

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG