Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Cruzeiro é multado em R$ 50 mil por atos homofóbicos da torcida

No primeiro jogo da semifinal, os torcedores insultaram o central Michael, do Vôlei Futuro

Aretha Martins, iG São Paulo |

Divulgação/CBV
Michael foi destaque do Vôlei Futuro na segunda partida da série semifinal, em Araçatuba
A Comissão Disciplinar do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) puniu, por decisão unânime, a equipe do Sada/Cruzeiro com multa de R$ 50 mil pelo caso de homofobia de sua torcida contra Michael, meio-de-rede do Vôlei Futuro, durante a primeira partida da semifinal da Superliga masculina 2010/2011.

O time mineiro foi denunciado por "praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem sexual", como prevê o artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). A multa poderia chegar a R$ 100 mil.

Na partida em Contagem, vencida pelo Sada/Cruzeiro por 3 sets a 2, Michael, jogador homossexual assumido, se sentiu assustado e ofendido com os gritos da torcida cruzeirense. “Foi uma coisa que assustou logo no começo, ter uma manifestação assim, tão grande. Era todo mundo gritando ‘gay, bicha’”, disse em entrevista ao iG na semana passada. O Vôlei Futuro enviou vídeos da partida à CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) e o caso foi encaminhado ao STJD.

Além disso, o Ministério Público de Minas Gerais ainda recolhe informações sobre a partida para saber se toma ou não alguma providência sobre o caso.

Jogo em Contagem decide a série

A série semifinal da Superliga masculina está empatada. Depois da derrota no polêmico jogo em Contagem, o Vôlei Futuro venceu em Araçatuba por 3 sets a 2. Apesar da punição do STJD, o Sada/Cruzeiro segue como mandante da terceira a última partida, na sexta-feira, às 20h30. De acordo com o time, todos os 2000 ingressos que foram colocados à venda na tarde de terça-feira se esgotaram em 35 minutos.

A equipe mineira ainda prepara uma ação para a sua torcida. De acordo com o vice-presidente Alberto Medioli, será uma campanha para lembrar a importância de torcer e apoiar o time, sempre respeitando os atletas e a equipe adversária. Segundo a assessoria do Sada/Cruzeiro, serão colocadas faixas no ginásio e a campanha também será feita nas redes sociais.

Na outra série, o Sesi venceu o Vivo/Minas e assegurou a vaga na decisão.

Leia tudo sobre: michaelvôlei futurohomossexualidadevôleisuperliga

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG