Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Contra Vôlei Futuro, Pinheiros busca a quarta vitória seguida

Consciente de que nunca é fácil jogar na casa do rival, Gustavo aposta no bom momento da equipe da capital

Gazeta Esportiva |

Depois da derrota para o invicto Sesi nesta quinta-feira, jogando em casa, o Vôlei Futuro tem mais um desafio pela frente neste sábado: o Pinheiros/Sky. O time de Giba e companhia vem de uma sequência de três vitórias (Fátima/Medquímica/Sogipa, Volta Redonda e Medley/Campinas) e espera conquistar a quarta sobre a equipe de Araçatuba. Dono do bloqueio mais eficiente da competição até o momento, o meio de rede Gustavo já sabe o que sua equipe tem que fazer para sair de Araçatuba com a vitória.

"Temos que sacar muito bem e fazer com que o passe deles não chegue tão bom ao Ricardinho. Nosso bloqueio e nossa defesa também terão que funcionar. E o ataque terá que ser eficiente. Não podemos ceder pontos de graça ao Vôlei Futuro. É um jogo estudado, tático. Temos que ter determinação para virar as bolas", analisou o central.

Consciente de que nunca é fácil jogar na casa do rival, Gustavo aposta no bom momento da equipe. "Enfrentar o Vôlei Futuro em Araçatuba é sempre difícil. A torcida enche o ginásio, incentiva. Mas nosso time está melhorando a cada dia. A equipe está ficando bem homogênea. Esta é a Superliga mais equilibrada dos últimos tempos", afirmou.

Do outro lado, o técnico do Vôlei Futuro, Cezar Douglas, admitiu que a derrota para o Sesi serviu para aumentar a pressão por vitória diante da equipe de Giba, Gustavo e Rodrigão.

"A responsabilidade aumenta. É natural. Tivemos a oportunidade de vencer o Sesi, mas não conseguimos. Com isso, o jogo de amanhã (sábado) passa a ser ainda mais importante. O Pinheiros é uma equipe forte e um dos concorrentes diretos ao título. Temos que vencer", disse.

O treinador exaltou ainda a experiência dos atletas da equipe adversária. "O Pinheiros conta com jogadores experientes e de excelente qualidade técnica. Além disso, são atletas que sabem conviver com a pressão. O time tem que jogar com entusiasmo, vibrar o tempo todo e estar 100% focado em cada ponto. Foi isso o que faltou um pouco contra o Sesi", concluiu Cezar Douglas.

Leia tudo sobre: vôlei - superliga masculina

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG