Fora da Liga Mundial, central fez nova avaliação nesta sexta, disse estar melhor e confiante

Fora da Liga Mundial por causa de uma fratura no metatarso do pé esquerdo, Gustavo não consegue ficar longe dos companheiros de seleção brasileira e faz questão de acompanhar os treinos da equipe para o confronto desta semana, contra Porto Rico. Em recuperação, o central fez nova avaliação nesta sexta e está confiante em voltar a jogar logo.

"A gente fez a avaliação depois de dez dias. O médico está bem confiante e eu também. Eu sei que é difícil vim para cá, assistir o treino e não poder participar, mas a cabeça está boa", disse Gustavo, que, uma vez recuperado, viajará para Florianópolis (SC) para se reunir com a Cimed.

"Daqui a mais ou menos duas semanas e meia, devo fazer uma radiografia e se o médico recomendar volto a treinar, provavelmente em Florianópolis. Eu devo ir para lá para começar o treinamento", acrescentou o central, que não tem um tratamento específico para a fratura.

"Não tem tratamento. O doutor me falou que, assim que o osso consolidar, eu posso treinar normal, como se tivesse novo em folha", explicou o jogador, que aproveita o tempo livre para malhar e curtir a família.

Acompanhando a seleção brasileira de fora das quadras, Gustavo veste a camisa de torcedor e sofre assistindo às partidas. "É um suadouro desgraçado que me dá, eu querendo fazer parte, ajudar, querendo torcer, pulando em casa. Semana passada, pulei com um pé só lá", revelou Gustavo.

Contratado da Cimed para a temporada 2011/12, o meio de rede tem ótimas expectativas com a nova equipe e ressaltou a experiência que o time catarinense adquiriu para a próxima Superliga.

"É um ótimo time, vamos ter uma equipe muito estruturada que só tem o vôlei como esporte, não querendo criticar o Pinheiros, de forma alguma. Acho que o Pinheiros deu todas as condições para a gente tentar o nosso melhor", afirmou o jogador, que defendeu a equipe paulista na última temporada e está mais do que pronto para a mudança. 

"É uma equipe experiente, não é uma equipe de novos como era normalmente. Como era a Cimed, uma equipe muito nova acostumada a ganhar. Comigo e com o Giba, a idade deu uma aumentada, mas a gente vai levar a nossa experiência também", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.