Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Com "festa rosa", Vôlei Futuro vence Cruzeiro e exalta Michael

Torcida apoio o jogador que foi vítima de ofensas na última semana e assumiu ser homossexual

iG São Paulo |

Divulgação/CBV
Torcedores do Vôlei Futuro fizeram questão de apoiar o jogador Michael, em Araçatuba
Em um jogo que ficou marcado pelas manifestações de apoio ao meia de rede Michael, o Vôlei Futuro venceu o Cruzeiro por 3 sets a 2, neste sábado, em Araçatuba. Nas arquibancadas, os torcedores da equipe se vestiram de rosa e abriram uma faixa em homenagem ao jogador, que foi vítima de homofobia no dia 1 de abril, em Contagem.

Divulgação/CBV
Michael comemora um ponto do Vôlei Futuro em Araçatuba
Michael foi chamado de gay, viado e bicha pela torcida do Cruzeiro, na semana passada. Após o episódio, ele assumiu ser homossexual. Na última segunda-feira, o Vôlei Futuro divulgou uma nota oficial com inúmeras acusações à recepção dada pelo Sada/Cruzeiro.

Em Araçatuba, o caso repercutiu e Michael recebeu o apoio da torcida do Vôlei Futuro. A torcida gritou pelo nome de Michael e estendeu faixas com arco-íris, símbolo do movimento gay. Em quadra, o colega de equipe Mário Júnior usou camisa colorida com os dizeres Vôlei Futuro contra o preconceito.

“Nunca tinha visto nada igual”

A manifestação de carinho que recebeu da sua torcida, no ginásio de Araçatuba, surpreendeu Michael. Em duvulgação via assessoria de imprensa, o jogador declarou: “Antes do jogo sabia que teria alguma coisa, mas eu não imaginava o que seria. Antes de entrar em quadra vi a camisa do Mário Junior e achei muito criativa, mas quando a equipe entrou no ginásio e vi aquele povo todo com os ‘bate-bate’ com meu nome, com aquela mega bandeira... fiquei emocionado, foi um gesto muito carinhoso”, agradeceu o jogador.

Michael também falou sobre a repercussão do caso. “A bandeira foi levantada, não que tenhamos que esquecer o que ocorreu, espero que não tenham outros casos como esse, mas agora acabou. É momento de deixar isso de lado e focar apenas no jogo de sexta-feira que pode nos levar à final da Superliga”, acrescentou o central da equipe de Araçatuba.

Michael até jogou bem, mas não foi tão decisivo na partida. O jogo se baseava no duelo entre os levantadores Ricardinho, do Vôlei Futuro, e William, do Cruzeiro. No ataque, Vissotto e Wallace travaram batalha para ver quem era mais decisivo. E no final, o último ponto veio das mãos do cubano Camejo, em um potente saque.

A vitória iguala a disputa da semifinal e força o terceiro jogo na próxima sexta-feira, às 20h30m. A partida que vale vaga na decisão será no ginásio de Contagem, onde Michael foi xingado pela torcida rival.

Divulgação/CBV
Mário Júnior usou camisa colorida e com os dizeres Vôlei Futuro contra o preconceito

 

Leia tudo sobre: vôleisuperligamichaelvôlei futuro

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG