Ter um novo patrocinador foi a maneira que o time tetracampeão brasileiro encontrou de segurar jogadores e buscar reforços

A Cimed/Sky apresentou, na manhã desta segunda-feira, a sua equipe para a temporada 2011/2012 do vôlei nacional. O time sediado em Florianópolis fechou o patrocínio com a Sky por uma temporada e, com isso, contratou os campeões olímpicos e mundiais Giba e Gustavo e se manteve com um elenco de alto nível.

“A Cimed já tinha chegado ao limite. Quando terminou a temporada, existia uma necessidade muito grande de uma parceria, ou não conseguiríamos manter o time com Bruno, Éder só com o nosso investimento. Os jogadores estão cada vez mais valorizados e no outro ano já tinha sido um tormento. Que bom que veio a parceira, e ainda com Gustavo e Giba”, afirma Marcos Pacheco, que segue como técnico da equipe catarinense.

Pacheco se mostra muito confiante. “Não posso garantir a vitória, mas posso garantir que o time vai estar preparado para vencer”, diz.

Com essa junção, o treinador teve que fazer o caminho inverso do que é comum aos times. Enquanto normalmente é o técnico ou a sua comissão quem pedem os reforços, neste caso Pacheco teve que montar um elenco que se encaixasse com os novos jogadores.

“Quando foi fechado o projeto com o patrocinador, nós ainda não tínhamos o time e montamos a equipe depois  que eles (Giba e Gustavo) chegaram. Por exemplo, eu tinha dois centrais de bloqueio, Gustavo e Éder, e eu tive que ir atrás de um cara mais atacante. Fechamos com o Renato Felizardo. As peças foram de encaixando a partir de Giba, Gustavo, que estavam chegando, e Bruno e Éder, que já estavam no time. Aí montamos o quebra-cabeça”, explica Pacheco.

Técnico Marcos Pacheco posa ao lado de Éder, Giba, Bruninho, João Paulo e Gustavo
Vipcomm
Técnico Marcos Pacheco posa ao lado de Éder, Giba, Bruninho, João Paulo e Gustavo

Os reforços do elenco de Florianópolis seguem a empolgação do técnico. “Eu só os conhecia como adversários e sei muito bem que a torcida deles não é brincadeira. Sofri muito como adversário. Em dois anos, não vencemos a Cimed. Mas agora estamos do lado de cá”, afirma Gustavo.

“É um projeto vencedor, que nasceu na época do Unisul. A gente já tinha conversado antes de eu ir para a Rússia, mas não iam gastar bala de canhão para matar passarinho. Depois, quando nós (Gustavo, Rodrigão e Marcelinho, que formaram o time Pinheiros/Sky) voltamos, os outros times se mexeram. E agora, acabei aqui. Estou muito feliz”, fala Giba.

Bruno (Bruninho) e Giba reeditarão no time a parceria da seleção brasileira
Vippcomm
Bruno (Bruninho) e Giba reeditarão no time a parceria da seleção brasileira
Os últimos anos dos dois no Brasil, entretanto, não foram tão bons . O Pinheiros, que nasceu como um time galáctico, caiu na semifinal na primeira Superliga e nas quartas de final da edição 2010/2011.

“Com certeza não foram dois anos agradáveis, podemos assim dizer. A gente estava se remoendo por dentro e fazendo de tudo para que a coisa saísse”, afirma Giba.

Agora, eles fecham com uma equipe que em seis anos já conquistou quatro títulos nacionais. “Eles estão com vontade de vencer e isso já dá para sentir. Sabemos que teremos uma equipe guerreira. A entrega dessa equipe será o principal”, comenta o levantador Bruno.

A equipe Cimed/Sky já está completa e não contará com estrangeiros no elenco. Ainda haverá uma apresentação oficial em junho em Florianópolis, para os fãs. Na ocasião, Giba “lutará” para seguir vestindo a camisa 7 , que hoje pertence à torcida. Por enquanto, os atletas convocados por Bernardinho seguem com a seleção brasileira a preparação para a Liga Mundial e devem começar os trabalhos com o time catarinense após essa apresentação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.