Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

CBV repudia suposto racismo a Wallace e estuda levar caso ao STJD

Jogador foi chamado de "macaco" por torcedora e ficou revoltado com a atitude racista que sofreu

Gazeta |

A  CBV (Confederação Brasileira de Voleibol) anunciou que está analisando o suposto racismo contra Wallace, oposto do Sada Cruzeiro, durante partida contra o Vivo/Minas, nesta quarta-feira, em Belo Horizonte, pela oitava rodada do segundo turno da Superliga masculina.

Leia mais: Insulto racista revolta jogador da seleção brasileira de vôlei

Divulgação
Wallace, oposto do Sada/Cruzeiro, disse ter sido alvo de insultos racistas
A entidade não descarta enviar o caso ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), assim como fez no ano passado, em mais um episódio envolvendo o Sada Cruzeiro. Na ocasião, no entanto, o time de Minas Gerais era o 'infrator' devido ao fato de sua torcida ter atitude homofóbica com Michael, do Vôlei Futuro. A punição para o clube foi uma multa de R$ 50 mil.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

A polêmica do passado não é evocada pelo Sada Cruzeiro, que prefere deixar o caso nas mãos da CBV, alegando já ter feito o que poderia fazer: acionar o delegado da partida e pedir para que o suposto racismo contasse no relatório do duelo.

Confira a nota oficial da CBV:

Sobre o possível caso de preconceito ocorrido na partida entre Vivo/Minas (MG) e Sada Cruzeiro (MG), realizada na última QUARTA-FEIRA (29.02), a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) lamenta e repudia qualquer tipo de preconceito durante todos os jogos de todas as competições do voleibol brasileiro.

Sobre o fato, o relatório do delegado da partida em questão relata que, ao ser comunicado da agressão verbal direta, de cunho racista, ao jogador Wallace, do Sada Cruzeiro (MG), durante o segundo set, o delegado acionou a segurança para identificar o agressor. Até o fim da partida, o mesmo não foi identificado dentre o público presente na Arena Vivo, em Belo Horizonte (MG).

A CBV, neste momento, reúne toda a documentação do caso para avaliar e, se necessário, encaminhar para o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), órgão responsável por julgar este tipo de acontecimento em competições esportivas, como já ocorreu em outras ocasiões.

Leia tudo sobre: cbvwallaceracismostjdsuperliga 2012

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG