Jogador foi chamado de "macaco" por torcedora e ficou revoltado com a atitude racista que sofreu

A  CBV (Confederação Brasileira de Voleibol) anunciou que está analisando o suposto racismo contra Wallace, oposto do Sada Cruzeiro, durante partida contra o Vivo/Minas , nesta quarta-feira, em Belo Horizonte, pela oitava rodada do segundo turno da Superliga masculina.

Leia mais: Insulto racista revolta jogador da seleção brasileira de vôlei

Wallace, oposto do Sada/Cruzeiro, disse ter sido alvo de insultos racistas
Divulgação
Wallace, oposto do Sada/Cruzeiro, disse ter sido alvo de insultos racistas
A entidade não descarta enviar o caso ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), assim como fez no ano passado, em mais um episódio envolvendo o Sada Cruzeiro. Na ocasião, no entanto, o time de Minas Gerais era o 'infrator' devido ao fato de sua torcida ter atitude homofóbica com Michael, do Vôlei Futuro. A punição para o clube foi uma multa de R$ 50 mil.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

A polêmica do passado não é evocada pelo Sada Cruzeiro, que prefere deixar o caso nas mãos da CBV, alegando já ter feito o que poderia fazer: acionar o delegado da partida e pedir para que o suposto racismo contasse no relatório do duelo.

Confira a nota oficial da CBV:

Sobre o possível caso de preconceito ocorrido na partida entre Vivo/Minas (MG) e Sada Cruzeiro (MG), realizada na última QUARTA-FEIRA (29.02), a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) lamenta e repudia qualquer tipo de preconceito durante todos os jogos de todas as competições do voleibol brasileiro.

Sobre o fato, o relatório do delegado da partida em questão relata que, ao ser comunicado da agressão verbal direta, de cunho racista, ao jogador Wallace, do Sada Cruzeiro (MG), durante o segundo set, o delegado acionou a segurança para identificar o agressor. Até o fim da partida, o mesmo não foi identificado dentre o público presente na Arena Vivo, em Belo Horizonte (MG).

A CBV, neste momento, reúne toda a documentação do caso para avaliar e, se necessário, encaminhar para o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), órgão responsável por julgar este tipo de acontecimento em competições esportivas, como já ocorreu em outras ocasiões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.