Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Brasil vê Sul-Americano de vôlei mais complicado com Argentina

Equipe ficou em quarto lugar na Liga Mundial e já deixa jogadores da seleção brasileira em alerta

Aretha Martins, iG São Paulo |

A seleção brasileira masculina de vôlei desembarcou em São Paulo nesta terça-feira depois do vice na Liga Mundial e seguiu o seu discurso de prioridades no ano: vencer o Sul-Americano e conseguir a vaga olímpica na Copa do Mundo , no Japão.

Futura Press
Bruninho elogia seleção da Argentina, rival do Brasil no Sul-Americano, próximo torneio do Brasil
Entretanto, agora o Brasil voltou a ter um adversário a mais na América do Sul. A Argentina, que fez bons duelos com a seleção no final dos anos 90 e começo dos anos 2000, ficou em quarto lugar na Liga e voltou a figurar entre os times perigosos no cenário mundial.

Os brasileiros reconhecem o crescimento do rival e já ficam em alerta, afinal, apenas do campeão sul-americano tem direito a jogar a Copa do Mundo, que classifica os três primeiros para Londres-2012.

"A Argentina ficou um bom tempo afastada do cenário do voleibol mundial e deu pouco trabalho ao Brasil nas competições continentais nos últimos anos. Mas, dessa vez, o panorama mudou bastante e o Sul-Americano será muito mais complicado", disse o central Rodrigão no desembarque da seleção.

"Sabemos que dessa vez a tarefa será mais complicada, pois a Argentina fez uma brilhante Liga Mundial e vai vir bastante motivada. O time deles é bem jovem, mas mostrou que tem jogadores talentosos", completou o levantador Bruninho.

O Brasil entretanto já começa o Sul-Americano, que será disputado em setembro, com uma vantagem, já que vai jogar em casa, como destacou Rodrigão. "A Argentina teve o melhor levantador (Luciano De Cecco) e dois dos maiores pontuadores da Liga Mundial (Facundo Conte e Federico Pereya). Será um adversário muito difícil, mas eu confio na qualidade de nosso grupo. E teremos o apoio da torcida, o que é um ponto favorável".

Já para Bruninho, jogar no Brasil pode ser um fator a mais na pressão sobre o time nacional. "Eles vão trabalhar com o fato que a responsabilidade é toda nossa, pois além de sermos a ‘seleção brasileira’, ainda vamos jogar em casa", analisou o levantador.

Por enquanto, o Sul-Americano não ficará nos planos dos jogadores brasileiros. Eles ganharam alguns dias de folga e vão, neste período, se reapresentar aos sues times. A seleção volta a se reunir em agosto para então se preparar para o torneio continental.

Leia tudo sobre: liga mundialsul-americanorodrigãobruninho

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG