Clássico é o último compromisso da seleção feminina na segunda fase do torneio, no Cazaquistão

Invicto no Grand Prix, o Brasil testa sua condição diante da Itália a partir das 9 horas (de Brasília) deste domingo, em Almaty, no Cazaquistão. O duelo com a seleção europeia, considerado um clássico, é o último compromisso do time treinado por José Roberto Guimarães na segunda fase do torneio.

A ponteira Natália, que voltou ao time de forma bem sucedida na vitória contra o Cazaquistão, no sábado, se empolga com a partida. "O jogo com a Itália é um clássico. É sempre muito bom jogar contra elas. São duas equipes que se conhecem e tem tudo para ser uma grande partida", afirmou a jogadora.

As duas seleções se encontraram pela última vez na Copa Internacional, realizada em no mês passado. Apesar da recente vitória sobre as italianas por 3 sets a 0, Zé Roberto Guimarães acredita que o jogo deste domingo será o mais difícil para sua equipe na segunda fase do Grand Prix.

"A Itália tem jogadoras experientes e importantes no cenário internacional, como a Ortolani e a Carolina Costagrande, que pelo primeiro ano joga efetivamente pela seleção italiana. Ela ataca bem as bolas de ponta e de fundo, além de ter um dos melhores bloqueios do mundo", apontou o comandante.

Zé Roberto ainda prevê uma grande variação de jogadas. "É um time que joga com bolas altas na ponta e muita velocidade nas bolas de meio e nas saídas de rede. A Bosetti, apesar de jovem, também tem jogado há muito tempo com a camisa da Itália. As duas levantadoras italianas são de qualidade", encerrou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.