Tamanho do texto

Seleção busca a recuperação na Liga Mundial e liga o sinal de alerta contra o lanterninha do grupo A

Murilo
Divulgação
Murilo "puxa" bloqueio do Brasil durante treino no Ibirapuera
A seleção brasileira masculina volta à quadra neste final de semana pela Liga Mundial depois de ter uma semana de treinos para “digerir” a derrota para os Estados Unidos , o primeiro tropeço do time no torneio. Agora, os comandados de Bernardinho encaram Porto Rico , lanterna do grupo e que ainda não venceu na competição. Para eles, buscar a recuperação de uma derrota contra o rival mais frágil da chave tem as suas armadilhas.

“Eu acho mais difícil me preparar para um jogo que sabemos que será mais fácil. É até natural relaxar. Quando vale o campeonato ou uma classificação, é diferente, você fica muito mais ligado. Eu me concentro com muito mais facilidade e acho que me preparo melhor”, afirma o central Rodrigão.

E contra Porto Rico, o Brasil sabe que, mesmo com um ritmo mais lento, é superior. “Às vezes, mesmo mais relaxado, a gente consegue ganhar de Porto Rico. Outra coisa é jogar contra Polônia ou Estados Unidos. Não digo que seria impossível, mas é muito mais complicado ganhar deles se não estivermos 100%”, analisa Murilo.

Já Bernardinho segue a linha da cautela e prefere não menosprezar os rivais. “É sempre uma armadilha porque você escuta sempre que é a seleção mais fraca e, em 2007, foi a equipe que venceu os Estados Unidos na Copa do Mundo e, um ano depois, os Estados Unidos eram campeões olímpicos. Porto Rico é uma equipe perigosa nesse sentido e, jogando sem pressão, se torna mais perigosa ainda”, alerta.

Os duelos contra Porto Rico podem ajudar ou complicar a vida do Brasil na sequência da Liga Mundial. Depois de não marcar pontos na derrota para os Estados Unidos, o time segue na liderança do gruo A, mas se vê obrigado a vencer os porto-riquenhos em casa.

“A gente está sujeito ao erro, mas se errarmos de novo agora, teremos que vencer os outros dois jogos dos Estados Unidos e da Polônia. Temos a obrigação de garantir os resultados em casa para chegarmos com uma folga aos jogos lá fora”, fala Murilo.

Para o ponteiro, essa necessidade de bons resultados ajuda o time a entrar focado na partida. “A gente sabe que serão dois jogos importantíssimos para a classificação e não podemos arriscar perder um ponto com um 3 a 2. Temos que somar os seis pontos. Por isso acho que não vamos relaxar”, afirma.

Brasil enfrenta Porto Rico no sábado e no domingo, às 10h (horário de Brasília), em São Paulo, no ginásio do Ibirapuera.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.