Treinador da seleção acredita que o poder defensivo foi o diferencial que levou à classificação para a semifinal

selo

Divulgação/FIVB
Seleção feminina ouve as instruções do técnico José Roberto Guimarães

A seleção brasileira de vôlei feminino se garantiu na semifinal do Grand Prix após tranquila vitória sobre o Japão por 3 sets a 0 , com parciais de 25/17, 25/22 e 25/21, na madrugada desta quinta, em Macau. E, para o técnico José Roberto Guimarães, a classificação foi possível por conta da boa atuação da defesa brasileira.

"Com essa vitória alcançamos a semifinal, que era o nosso primeiro objetivo na fase final. Jogamos muito bem na defesa. É sempre difícil enfrentar as japonesas. O segundo e terceiro sets foram muito parelhos", avaliou o treinador.

Com a 11.ª vitória consecutiva na competição, o Brasil assumiu a liderança isolada do Grupo B com seis pontos, um na frente dos Estados, que derrotaram a Itália também nesta madrugada por 3 sets a 2. Agora, brasileiras e norte-americanas decidem a primeira colocação da chave na madrugada de sexta, às 2h30. Japonesas e italianas, por sua vez, já estão desclassificadas.

O Brasil teve nesta quinta-feira o desfalque de Mari, poupada com dores no abdômen - ela começou a sentir o problema na vitória sobre a Itália, na quarta, também por 3 a 0. E o grande destaque do jogo foi justamente a substituta da ponteira, Fernanda Garay, que terminou a partida com 17 pontos. "A Fernanda foi a melhor jogadora do nosso time. Ela recepcionou, atacou e bloqueou bem. Foi uma bela performance", elogiou Zé Roberto.

Sobre a situação de Mari, o médico da seleção feminina, Júlio Nardelli, explicou que a lesão não é grave. Antecipou, no entanto, que será difícil ela se recuperar até a semifinal, na madrugada de sábado. "A Mari teve um estiramento na região abdominal. O estiramento parece ser de leve a moderado. O tempo de recuperação para essa fase final é muito curto, mas nós estamos fazendo um trabalho de fisioterapia. Os atletas, muitas vezes, nos surpreendem. Estamos analisando a situação da Mari dia a dia".

Sem contar com Mari, o Brasil entrou em quadra com Dani Lins, Sheilla, Fabiana, Thaisa, Fernanda Garay, Paula Pequeno e Fabi (líbero) - também entraram Tandara, Natália e Sassá. E foi superior durante quase todo o confronto, dominando o Japão nos três sets e mantendo com tranquilidade a sua invencibilidade na competição.

"Foi um jogo bom para o Brasil. A equipe se superou. Nosso ataque foi eficiente e nossa defesa tocou em quase todas as bolas", elogiou a capitã Fabiana, que terminou o confronto com oito pontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.