Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Brasil bate os EUA, mantém invencibilidade e avança como líder no Mundial

A seleção brasileira vai encarar o Japão na semifinal do torneio. Outro duelo será entre Estados Unidos e Rússia

Aretha Martins, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237861634781&_c_=MiGComponente_C

A seleção brasileira feminina conseguiu o que queria até aqui no Campeonato Mundial de vôlei. Com vitória por 3 sets a 1 no clássico contra os Estados Unidos, com parciais de 25/19, 24/26, 25/19 e 25/23, o Brasil, que já estava classificado para as semifinais, segue invicto no torneio e confirma a liderança do grupo na busca pelo inédito título mundial.

A partida desta madrugada em Nagoya, no Japão, valia pouco para a classificação, que já estava praticamente definida, mas foi o confronto mais complicado para o Brasil na segunda fase do Mundial. E a marca da partida foi o volume de jogo. Tanto Brasil quanto Estados Unidos defenderam bem e a bola demorou a cair.

Com equilíbrio no sistema defensivo, o jogo foi definido na eficiência no ataque. Jaqueline, depois de começar a partida muito marcada no bloqueio no primeiro set, foi destaque nos momentos importantes. Ela fez 18 pontos, todos no ataque, e foi a maior pontuadora do Brasil. A oposta Destinee Hooker foi quem mais colocou bolas no chão na partida, com 20 acertos (18 no ataque e dois no bloqueio).

O Brasil ainda foi um pouco melhor no bloqueio, com 13 pontos contra 11 das norte-americanas. Já no saque, os Estados Unidos fizeram cinco aces e o Brasil, quatro.

Divulgação
Técnico Zé Roberto vibra com vitória do Brasil contra os Esstados Unidos

As semifinais do Mundial estão definidas. O Brasil vai encarar o Japão, que encerrou a segunda fase com derrota para a Rússia. No outro jogo, o duelo será entre Rússia e Estados Unidos, beneficiados com o tropeço da Itália diante de Cuba. As semifinais serão no sábado e a final do Campeonato Mundial acontecerá no domingo.

O jogo
A reedição da olímpica começou equilibrada, como era esperado. O Brasil fez 3 a 1, mas os Estados Unidos empataram em 4 a 4 com bloqueio em Jaqueline. As norte-americanas ainda pararam a ponteira mais duas vezes e o Brasil chegou ao tempo técnico com 8 a 7 no placar, depois de um ataque de Natália.

A jovem ponteira brasileira seguiu bem na partida e com mais dois pontos seus, a seleção abriu 10 a 7. Pouco depois, reação norte-americana, que virou e empatou com novo bloqueio em Jaqueline (o quarto no set) e ataque da central Akirandewo (15 a 14). O equilíbrio seguiu em quadra e o Brasil voltou a abrir com ace de Sheilla e ataques de Natália (20 a 17). A resposta norte-americana veio com ace de Akirandewo (20 a 19). Mas Jaqueline também deu seu troco dos bloqueios levados no começo do set. Parou um ataque na rede e com dois pontos de ataque, o Brasil fechou em 25 a 19.

No segundo set, os Estados Unidos começaram melhor. Logan Tom foi para o saque, fez um ace e viu seu time impor 5 a 2. A vantagem norte-americana cresceu para 9 a 5 logo depois da primeira parada. Com uma sequência de três pontos de Jaqueline, o Brasil encostou (8 a 9) e deixou tudo igual no ataque de Sheilla (10 a 10). 

Os EUA recuperaram a vantagem com bloqueio para cima de Sheilla e pontos da oposto Destinee Hooker, que apareceu mais na partida (15 a 12).Depois de um empate do Brasil em 15 a 15 com Joycinha, que havia entrado na inversão de 5-1, as campeãs do Grand Prix dispararam em 19 a 15.

Aos poucos, o Brasil voltou para o jogo. A levantadora Fabíola quebrou o passe de Logan Tom, líder das estatísticas do torneio no fundamento, e a seleção buscou o empate (21 a 21). Depois, em rali com direito a três ataques de Natália e belas defesas da líbero Stacy Sykora, Thaísa pontuou no bloqueio (23 a 22). com equilíbrio até o final, os Estados Unidos fecharam o set em 26 a 24 após uma marcação duvidosa no ataque de Natália.

Assista ao vídeo

No terceiro set, o Brasil começou com dificuldades para virar no ataque, como na parcial anterior, com erros de Natália. A seleção melhorou com dois pontos com as centrais Fabiana e Thaísa e ainda Jaqueline, que cresceu no ataque na parcial anterior (8 a 6). Na volta, o time brasileiro abriu 11 a 7, aproveitando-se do erro de Hooker e com um bloqueio de Natália. O troco veio no ponto seguinte, com a ponteira brasileira sendo parada pela central Akirandewo.

Entretanto, o momento era brasileiro, que voltou a virar no ataque. As centrais atuaram mais e Jaqueline pontuou em bolas difíceis. A vantagem nacional chegou a 16 a 9 no segundo tempo técnico. O Brasil se manteve na frente com a inversão de 5-1 e marcou 22 a 15 com a oposta Joycinha. No final, 25 a 19 para a seleção no erro de saque de Hooker.

O Brasil voltou a apresentar problemas no ataque no começo do quarto set e os Estados Unidos abriram em 8 a 4 na primeira parada técnica. Aproveitando-se dos erros da recepção da líbero Fabi, os Estados Unidos abriram 13 a 9. Mais uma vez, Jaqueline foi decisiva. Com um ataque de desviou no bloqueio, o Brasil virou em 14 a 13, mas logo as norte-americanas voltaram à liderança, marcando 16 a 15 no segundo tempo técnico.

Mais uma vez o Brasil reassumiu a liderança com ace de Sheilla (17 a 16). Os Estados Unidos ainda viraram no 21 a 20 com ataque de Logan Tom. Mas Fabíola aproveitou o passe para usar o meio de rede. Thaísa marcou dois pontos e, com mais um bloqueio de Sheilla, o Brasil chegou a 24 a 21. A seleção brasileira fechou em 25 a 23 na bola que voltou fora na defesa norte-americana.

Divulgação
Musas do Brasil, Jaqueline e Sheilla comemoram vitória no Mundial

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG