Técnico deverá usar mescla de medalhões e jovens convocados nos primeiros jogos da competição

Embora comande a seleção que é considerada a mais forte do vôlei masculino hoje, o técnico Bernardinho afirmou nesta quarta-feira que o Brasil precisa temer e respeitar até mesmo o modesto time de Porto Rico, um dos rivais do País na primeira fase da Liga Mundial, que começa no próximo dia 27. O treinador falou sobre os primeiros adversários da equipe nacional na competição durante o início do período de treinos em Saquarema (RJ), onde ele irá definir o grupo que jogará a competição.

A seleção brasileira integra o Grupo A da Liga Mundial, que além de Porto Rico conta com a Polônia e os Estados Unidos. Entre eles, os poloneses já estão garantidos no estágio seguinte pelo fato de o seu país ser a sede da fase que definirá o campeão.

"É um grupo forte, que conta com três seleções que estão entre as candidatas ao título. Por outro lado, chegando à fase final já estaremos com um ritmo bom. A seleção de Porto Rico, que teoricamente está em um patamar inferior, também é muito perigosa, pois joga sem responsabilidade. Os poloneses já estão garantidos na fase final e utilizarão a primeira fase como preparação. Os Estados Unidos, mesmo quando não estão bem, costumam dificultar muito a vida do Brasil", avaliou o treinador.

Bernardinho também deu sinais, nesta quarta, de que deverá usar uma seleção mesclada de medalhões e jovens convocados nos primeiros jogos da Liga Mundial, tendo em vista o curto período de preparação e de descanso que os atletas tiveram após a disputa da Superliga e de outras competições.

"A Superliga e os outros campeonatos nacionais não nos deram muito tempo para fazer a preparação da maneira adequada, já que precisamos dar um descanso aos atletas entre o término delas e o início dos treinamentos com a seleção. A Liga Mundial é uma competição longa e desgastante, e por isso precisamos refletir bastante sobre a utilização dos atletas no início", opinou.

Por causa da disputa da Superliga e outros torneios, o técnico ainda não conta com o seu grupo completo em Saquarema. Atualmente, já estão trabalhando no centro de treinamento da seleção o levantador Marlon; os líberos Alan (recuperando-se de um fratura no punho direito), Sérgio e Mario Junior; os opostos Leandro Vissotto, Theo e Wallace; os ponteiros Murilo, Giba, Thiago Alves, João Paulo Bravo e João Paulo Tavares e os centrais Gustavo, Lucas e Sidão.

Outro convocado para a seleção, o levantador Bruno tem chegada aguardada em Saquarema nesta quinta-feira, enquanto o central Rodrigão, liberado para descansar, se reapresentará aos treinos em "alguns dias", segundo definiu a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) em seu site oficial nesta quarta. Já o ponteiro Dante começará os treinamentos apenas no próximo dia 23 e nem viajará com a equipe para Porto Rico, onde o Brasil enfrentará a seleção da casa nos dias 27 e 28, em San Juan, nos dois primeiros confrontos desta Liga Mundial.

Após estrear na Liga Mundial contra os porto-riquenhos, os brasileiros jogarão no Rio de Janeiro, em Belo Horizonte e São Paulo, respectivamente contra Polônia, Estados Unidos e novamente Porto Rico. Em seguida, a equipe seguirá para Tulsa para encarar os norte-americanos, antes de encerrar a primeira fase contra os poloneses, em Katowice.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.