Técnico formará dois times no ano, e atletas esperam concorrência: “Ameaça sempre existe quando se está na seleção”, diz Vissotto

Bernardinho fez algumas mudanças na seleção masculina de vôlei para esta temporada. Além de manter a base campeã mundial no ano passado, promoveu a volta de veteranos, como Gustavo e Serginho, e chamou alguns atletas pela primeira vez, como o oposto Wallace , destaque do título do Sesi na Superliga. A preocupação é com o calendário desgastante da temporada.

“Se for contar, tem Liga Mundial , Sul-Americano, Pan-Americano, Copa do Mundo, Torneio Internacional em Londres e Universíades. É muita coisa, não tem como participar de tudo”, analisa Giba. A solução foi formar duas equipes , um time A e um time B. 

Mesmo os mais velhos não se preocupam em “cair” para o segundo grupo. “Por enquanto estou na A, mas não seria demérito nenhum jogar na B. Poderia ser algum demérito se não tivesse nem sido convocado, por exemplo”, afirma Gustavo, que voltou ao time depois de três anos fora, desde a prata nas Olimpíadas de Pequim.

Quem conseguiu o seu espaço nos últimos anos, entretanto, já sente a “sombra” de outros jogadores, como Leandro Vissotto. Ele assumiu a vaga de oposto titular e foi destaque nas fases finais da Liga e do Mundial de 2010. Agora, terá a concorrência de Wallace. “Só os melhores terão vaga no time principal, é claro. Por isso, ameaça sempre existe quando se está na seleção. Mas isso estimula ainda mais”, diz.

Já o novato prefere dar espaço aos mais velhos. “Leandro e Théo já estão aqui há mais tempo e saem na frente nessa disputa. Estou chegando agora e sei que preciso de paciência”, comenta Wallace.
Bernardinho ainda não sabe qual seleção usará em cada torneio no ano. O foco é a Copa do Mundo, que vale vaga para as Olimpíadas de Londres.

“Devemos usar o time B no Torneio de Londres e no Universíade. Para o Pan-Americano ainda temos que ver qual será a proximidade com a Copa do Mundo. Se for o caso, vamos fazer uma mescla de alguns da A que não irão para a Copa com jovens que a gente espera que componham o elenco para 2016”, explica o técnico.

O Brasil estreia na Liga Mundial no dia 27, diante de Porto Rico, fora de casa. A seleção busca o 10º título no torneio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.