Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Após confusão com ingressos, Sesi e Minas lutam por vaga na final

Torcedores causaram tumulto diante do ginásio Vila Leopoldina na tarde de quinta-feira

Aretha Martins, iG São Paulo |

Sesi-SP e Vivo/Minas fazem, nesta noite, o último duelo da série semifinal da Superliga masculina 2010/2011. Em quadra, os dois times falam em equilíbrio e em arrumar os erros para vencer e garantir o lugar na final. Fora dela, os torcedores causaram tumulto por ingressos para a partida.

Divulgação
Sesi, de Thiago Alves, venceu o Minas na segunda partida e decide a vaga na final em casa
O confronto será às 20h30 no ginásio Vila Leopoldina, casa do Sesi na Superliga desde a sua criação, há duas temporadas. O local, entretanto, é pequeno e tem capacidade para apenas 800 torcedores. E do total de ingressos, seriam distribuídos 200 (dois por pessoa) a partir de 18h.

A procura foi grande e por volta de 15h30 da tarde de quarta-feira já havia uma longa fila na porta do ginásio. Uma hora depois, de acordo com a assessoria da equipe, os funcionários do local decidiram distribuir senhas para evitar um tumulto maior e também fazer com que as pessoas não ficassem esperando em vão. Ainda assim, muitos esperaram até o horário marcado para a distribuição e houve confusão.

Segundo torcedores, houve muita frustração e até os jogadores, que estavam saindo do treino, foram abordados com pedidos de ingressos e protestos. “Não sabia da distribuição das senhas. Se soubesse, teria vindo antes para cá”, disse Priscila, que acabou sem as entradas. No final, só conseguiu um lugar quem estava com a senha. O restante dos ingressos foi distribuído da seguinte maneira: 160 para o time visitante; 40 para a tribuna vip; 300 para alunos do Sesi e usuários da unidade Vila Leopoldina e 100 para funcionários e familiares de jogadores do time.

Mudança de campo
O Sesi afirmou ainda que pensou em transferir o jogo para um local maior. Mas, para que isso acontecesse, era necessário um consenso entre a equipe, o Vivo/Minas, a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) e a emissora que detém os direitos de transmissão, a TV Globo. O time disse que não houve tempo para uma possível alteração de casa.

“É hora de jogar com o coração”

Divulgação
Diogo tenta parar jogada do Sesi. O Minas venceu a primeira partida da série semifinal
Dentro de quadra, a série semifinal está empatada. O Vivo/Minas venceu a primeira partida por 3 sets a 2. Depois, o Sesi-SP deu o troco com 3 sets a 1 e recuperou a vantagem de decidir ao lado da torcida. “Vamos jogar em casa, junto da nossa torcida, e assim somos mais fortes”, afirmou Murilo.

O técnico Giovane usa o emocional dos atletas paulistas. “Precisamos ter uma postura agressiva, uma boa recepção para que o ataque possa render bem. Estamos a uma vitória da decisão, este é o nosso objetivo. É hora de jogar com o coração”, disse.

Do lado do Minas, a semana foi de trabalho em quadra, para acertar os erros, e fora dela, observando o adversário. “De uma forma geral, medimos as forças e fraquezas do Sesi e as nossas, fizemos alguns estudos estatísticos e de vídeo, e avaliamos algumas mudanças que foram promovidas pelo time do Sesi do primeiro para o segundo jogo. Então é muito estudo, dedicação, mas sobretudo temos a confiança de que nós temos condições de enfrentá-los mesmo sabendo deste leve favoritismo que existe, já que jogam em casa. Respeitamos muito a equipe, mas sabemos que podemos crescer e chegar lá”, comenta o técnico Marcelo Fronckowiak.

Leia tudo sobre: SesiSuperliga Masculinavivo/minassemifinal

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG