Zé Roberto vê vantagens para o vôlei com a chegada de Ary Graça na FIVB

Técnico da seleção brasileira feminina destaca "cabeça aberta" do dirigente e defende uso des recursos eletrônicos para resolver lances polêmicos

Marcelo Laguna - iG São Paulo |

Gazeta Press
O técnico José Roberto Guimarães elogiou a chegada de Ary Graça à FIVB

A eleição do brasileiro Ary Graça para presidente da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) trará inúmeras vantagens à modalidade e ao voleibol brasileiro, de modo partucular. A opinião é do técnico da seleção feminina, José Roberto Guimarães, que nesta terça-feira à noite foi um dos homenageados na entrega do prêmio da revista Sport Life, em São Paulo.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Com certeza a chegada dele trará coisas boas, pois há anos estamos lutando por mudanças em algumas situações na FIVB, algumas regras que eram colocadas e a gente nem sabia o motivo e quem tinha estabelecido", disse o treinador da seleção, que foi bicampeã olímpica nos Jogos de Londres 2012.

Leia também: Sheilla define seu tipo de homem para revista e pede um ano de folga da seleção

Entre as mudanças citadas por Zé Roberto, está a questão nas viagens das seleções que disputam o Grand Prix feminino. "Estas viagens eram feitas via agência da FIVB. Só que tínhamos que cumprir trajetos terríveis, demorando até 40 horas para chegar ao destino. Ficávamos pensando porque tínhamos que fazer este percurso, se poderíamos viajar menos tempo. Foi uma grande luta para que eles dessem direito às confederações para escolherem os melhores trechos destas viagens", disse o treinador.

Veja também: Após peregrinação, Zé Roberto ainda não sabe quantas promessas faltam após ouro

Outro ponto que costumava ser complicado na relação da FIVB com as confederações nacionais, segundo Zé Roberto, diz respeito ao número de atletas inscritas no Grand Prix. "Eles faziam alterações nos regulamentos e não nos davam muitas explicações. Por exemplo, no número de atletas. Antigamente, apesar de termos 14 inscritas no torneio, duas sempre ficavam de fora de cada fase. Agora, podemos trocar as 12 jogadoras em cada partida. Isso deve melhorar a partir de agora", explicou Zé Roberto, único treinador três vezes medalha de ouro na história olímpica.

Tecnologia no esporte

Zé Roberto Guimarães também acredita que a chegada de Ary Graça ao comando da entidade máxima do vôlei servirá para acelar a implantação do uso de tecnologia na modalidade. "O Ary tem uma cabeça mais aberta, é um empreendedor. Sei que ele quer colocar tecnologia para funcionar o mais rápido possível. Acho que será bom para todo mundo. Todo esporte deveria ter isso", afirmou.

Acompanhe o blog Mundo do Vôlei

Para o treinador brasileiro, o tênis é exemplo de uma modalidade que utiliza a tecnologia a favor da arbitragem com sucesso. E nem acha que o futebol, onde existe um clamor pela implantação de tecnologia, será prejudicado caso isso ocorra.

"As pessoas falam que o futebol perderia o glamour, acho que não. O que é certo é certo. Se a bola entrou, tem que ser gol. Se está impedido, tem que dar. O tênis deu um passo muito grande. Não vai ter isso em todas as competições porque é um aparato caro, mas que acho nas principais seria importante que tivesse", exemplificou.

Leia tudo sobre: josé roberto guimarãesarbitragemtecnologiaary graçafivb

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG