Técnico José Roberto Guimarães esperou até último momento e manteve a ponteira no time que faturou o bicampeonato olímpico

Natália treina com a Unilever e espera estar pronta para a Superliga 2012/2013
Divulgação
Natália treina com a Unilever e espera estar pronta para a Superliga 2012/2013

A ponteira Natália passou a temporada passada se recuperando após duas cirurgias na canela esquerda, para retirada de um tumor benigno. Mesmo atuando pouco, foi escolhida por José Roberto Guimarães para compor o grupo que faturou o bicampeonato olímpico em Londres. O técnico recebeu algumas críticas por convocar uma atleta que não estava 100%, mas Natália sabia muito bem o seu papel para o elenco. 

Deixe seu recado e comente com outros torcedores

"A minha missão em Londres não foi virar bola, não foi entrar para virar o jogo. Foi o grupo. Depois que perdemos para a Coreia do Sul, as meninas estavam chorando e eu dando força para elas e não deixava o astral cair muito", lembra a jogadora.

E pela gravidade da lesão da ponteira, o que importava nem era entrar em quadra. Ela foi diagnosticada com o tumor beningo e passou pela primeira cirurgia em 2011. Depois de seis meses, em dezembro daquele ano, teve que operar mais uma vez o local. "Antes, o que estava em jogo, não era nem uma Olimpíada. Era a minha carreira", disse Natália. 

Blog Mundo do Vôlei: Unilever se equilibra no ataque com Natália e Sarah e no fundo com Logan Tom

A atleta ainda comentou que ficou com medo de ter que parar, mas nunca perdeu a confiança. "Duas semanas antes de ir para Olimpíadas eu estava com dor na canela ainda. Passaram milhões de coisas pela cabeça, mas eu sempre acreditei. E agradeço a todo o tratamento médico que recebi no Unilever. Eles tiveram cuidado e não tiveram pressa em me recuperar", afirma. 

Ainda durante o pré-Olímpico Sul-Americano, Zé Roberto já se derretia pelo jeito da jogadora e dava indícios de que a levaria para as Olimpíadas. "Ela é uma ótima garota. Ela é uma jogadora de grupo, tranquila, que ajuda todo mundo, que está sempre sorrindo, que é muito positiva. Eu gosto muito da forma como ela age. Ela é moleca e,ao mesmo tempo, adulta no sentido de ser profissional, de se cuidar. A Natália tem um papel super importante na coesão e na união desse grupo e também na performance", comentou na época ao iG

Leia ainda:  Unilever apresenta time com Natália como maior reforço, brincadeiras e 'desfile'

Agora, com a medalha de ouro, ela se sente com o dever cumprido. "Estava ali pelo grupo. É que tem muita gente que não entende o que é isso", diz Natália, que também aprendeu com o drama das cirurgias. "Já perguntei para o médico o motivo de tudo, mas ele disse que não nada, que tinha que acontecer e pronto. A gente cresce em vários aspectos. A gente começa a dar muito mais valor à saúde, à carreira e a tudo que está em volta da gente. A gente começa a pensar com outra cabeça. Quando voltar acho vou estar mais madura, sim", explica. 

Natália já está treinando com o time da Unilever e voltou a saltar. Ela espera poder atuar na semifinal do Carioca, no dia 5 de outubro, e estar pronta para a Superliga 2012/2013, prevista para o começo de novembro. 

*repórter viajou a convite da Unilever

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.