Publicidade
Publicidade - Super banner
Vôlei
enhanced by Google
 

Em São Bernardo, Zé Roberto estreia 'intocáveis' no Grand Prix

Titulares voltam contra a Alemanha após descanso e já começam a vivenciar clima de pressão dos Jogos Olímpicos

Antonio Kurazumi -especial para o iG, em São Bernardo |

Com o retorno das titulares, a seleção feminina de vôlei estreia nesta sexta-feira na segunda etapa do Grand Prix, contra a Alemanha, às 20h30, no ginásio Adib Moyses Dib, em São Bernardo. O técnico Zé Roberto seguirá com os testes para ter certeza das jogadoras escolhidas para os Jogos Olímpicos e vê a partida em casa como uma espécie de “aquecimento” para Londres.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Divulgação
A levantadora Fabíola reassume a posição de titular

“Jogar em casa traz mais pressão, mas precisamos disso. Faz parte do que viveremos em Londres”, compara o treinador, que deixou da fora da lista de relacionadas dos três duelos de fim de semana Fernanda Garay e Sassá, as duas por motivo de lesão. A segunda preocupa mais, já que torceu o pé no começo da temporada e não tem previsão de retorno. Por outro lado, Sheilla, Jaqueline, Fabiana, Thaisa, Fabi e Fabiola debutam na competição e, ao lado de Paula Pequeno, iniciam o primeiro set.

Leia mais: Dores dão 'um tempo', e Fernandinha sonha com vaga em Londres

Um dos objetivos do técnico é se beneficiar das qualidades do rival desta noite, que não se classificou para as Olimpíadas. “Além de estarem acostumadas a grandes campeonatos, elas têm um saque preciso e forçado, vai ser bom para treinarmos a recepção”, analisa o comandante, que, como de costume, conhece o nome e característica de cada atleta adversária.

Veja ainda: Natália dá primeiros saltos após oito meses de inatividade

A tendência é que Zé Roberto promova algumas alterações no decorrer da partida, pensando em observar as candidatas às 12 vagas em Londres. Para ele, só os testes feito no nício do Grand Prix no último fim de semana, quando testou diversas caras novas, não serve de avaliação final. E cita como exemplo o caso da levantadora Fernandinha, que até arrancou elogios do comandante.

Tudo sobre vôlei: Blog Mundo do Vôlei

“Se dependesse de mim, eu teria jogado na Polônia. Não é bom ficar de fora agora, senão entra outra e me deixa de fora. As três têm condições de serem titulares da seleção”, afirmou Fabíola, em tom de brincadeira, se referindo também a Dani Lins. Uma delas será cortada no futuro. Para os jogos deste fim de semana, por exemplo, as três foram relacionadas – o treinador cortará duas jogadoras do banco, mas só nesta sexta-feira.

Confira ainda: Musa italiana diz que prefere ser vista pelo talento na quadra

A outra briga é entre Fabizinha e Camila Brait, só que aí na função de líbero. No fim das contas é possível que as duas viajem juntas para a Inglaterra, mas Zé Roberto se recusa a tomar uma decisão agora. “Não posso definir os nomes agora senão elas dão aquela relaxada, todo mundo tem que se sentir importante”, defende.

Mais cedo, às 18h15, Itália e Estados Unidos fazem um duelo de duas potências da modalidade, que também estão de olho em uma medalha nos Jogos Olímpicos.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG