Chocolate e primeiro título embalam Sada Cruzeiro na final

Enquanto Serginho disputava a nona final da Superliga, Wallace era o único titular que ainda não tinha sido campeão nacional

Aretha Martins, enviada iG a São Bernardo |

O Sada Cruzeiro conquistou o primeiro título na Superliga masculina com um experiente movido a chocolate e um novato ansioso no elenco. O líbero Serginho disputava a sua nona final de Superliga enquanto o oposto Wallace ainda era o único do time titular que não havia sido campeão brasileiro .

Saiba como foi a vitória do Sada Cruzeiro sobre o Vôlei Futuro set a set

O título desde sábado foi o quarto para Serginho e acabou com a espera de Wallace. Mas ao conversar com dos dois jogadores após a final, o veterano parecia mais eufórico que o novato. "A cada final que passa, eu fico mais ansioso. Eu achava que com o tempo fosse melhorar, mas agora vejo que só piora. Cada vez mais eu me coloco mais responsabilidade", afirmou Serginho.

Deixe seu recado e comente com outros torcedores

O líbero contou qual a sua tática para driblar a ansiedade. "Estava parecendo mulher de tanto que comi chocolate. Foi uma caixa de bis em um dia, um monte de amanditas no outro", disse, dando risada.

Já Wallace se vê como o mais calmo do grupo. Ele atendeu pacientemente aos fãs que pintaram de azul o ginásio de São Bernardo do Campo para a final. Quem pedia uma foto ou autógrafo era logo correspondido. "Eu sou o mais tranquilo daqui, eu acho".

Leia também: William se emociona ao lembrar do pai e descarta seleção

Sobre o primeiro título, a sensação é de dever cumprido. "Sai de quadra pensando que fiz o que poderia ter feito. Tudo que eu tinha para fazer ficou lá, no jogo", comentou.

O primeiro título nacional conquistado pelo oposto, além do troféu de melhor atacante da competição , logo ganharam uma dona. Gleci Souza, mãe de Wallace, acompanhou a partida ao lado da torcida do Sada Cruzeiro e até ajudou a organizar os fãs no momento das fotos com o filho. Ela exibia feliz os troféus e estava rouca de tanto gritar. Perguntada se ela havia pedido os títulos ao filho, a resposta foi simples: "Não, eu não cobro nada não. Não precisa".

    Leia tudo sobre: superligasada cruzeiroserginhowallace

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG