iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Vôlei

25/03 - 15:49

Sem clima em Treviso, Gustavo negocia volta ao Brasil

"Este vai ser o meu último ano aqui em Treviso. Minha relação com o presidente do time está ruim, temos brigado muito. Não tenho mais condições de ficar", admitiu

Gazeta Esportiva


TREVISO (Itália) - Um dos alicerces da "Era Bernardinho" na seleção brasileira, o central Gustavo Endres pode ser o próximo a fazer o caminho de volta rumo ao voleibol verde-amarelo. Insatisfeito no Sisley Treviso, time italiano que defende desde a temporada 2004/2005, o atleta já negocia com alguns clubes nacionais.

"Eu e minha família estamos pensando muito em voltar, pois não estou aguentando mais ficar aqui, com frio o ano inteiro...", revelou o meio-de-rede, em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva.Net. "Este vai ser o meu último ano aqui em Treviso. Apesar de eu ter mais um ano de contrato, minha relação com o presidente do time está ruim, temos brigado muito. Não tenho mais condições de ficar", admitiu.

O grande entrave para a volta de Gustavo ao Brasil se concretizar é justamente o contrato. "Se o presidente quiser, pode me emprestar para um outro time da Itália", explicou. Para não atrapalhar as negociações, até porque nem o Campeonato Italiano e nem a Superliga estão finalizados, o jogador não quis revelar os times com os quais negocia.

Natural de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, Gustavo atua no exterior desde 2001, quando se transferiu do Banespa para o Ferrara, onde permaneceu por duas temporadas. Na sequência, ele foi para o Latina, de onde partiu para o Treviso após um ano - no time da região de Vêneto, ele conquistou duas vezes o campeonato nacional (2004/2005 e 2006/2007).

Entre os motivos da insatisfação de Gustavo está a demissão do técnico brasileiro Renan Dal Zotto no mês de novembro, quando o time ocupava a terceira colocação no campeonato. "Foi muito ruim, deu um baque geral no time. É uma decisão que não tem explicação. Mesmo com outros técnicos, o time sempre teve altos e baixos, mas estávamos nos recuperando com ele. Senti muito, até pela amizade que tenho com o Renan, mas não mando no time", resignou-se.

Nesta quinta-feira, o central entra em quadra com o compatriota Ricardinho para a primeira partida das quartas-de-final do Campeonato Italiano. Oitavo e último classificado para os playoffs, o Treviso encara o líder da fase classificatória, o Macerata, de Rodrigão. "Conseguimos a classificação na última rodada e isso nos deu muita confiança. O Macerata é um time regular, com um bom levantador, mas já assistimos vídeos sobre eles, tivemos dez dias de treinos e o pensamento é só a vitória. Vamos entrar de cabeça nestes playoffs", promete.

Dentro do possível, Gustavo procura ver vantagens no fato de o Treviso ter sido apenas o oitavo na fase classificatória. "É o primeiro ano que não vamos para os playoffs como favoritos. Com isso, jogamos mais soltos, sem responsabilidade", aponta.

Seleção brasileira 
Apesar de não esconder o desejo de voltar ao Brasil, o meio-de-rede garante: sua saída da seleção brasileira, concretizada após a prata nas Olimpíadas de Pequim é definitiva.

"Para mim já deu", justificou o jogador. "Tem muitos garotos com mais explosão física do que eu, caso do Lucão, do Éder, do outro Gustavo, que está no Joinville... o próprio Henrique (ex-seleção brasileira) está muito bem. Acho que posso descansar tranquilo", brinca.

Ele, porém, disse que pode dar uma "ajudinha" ao técnico Bernardinho. "Se ele quiser, posso dar conselhos aos atletas mais jovens", afirmou, negando a possibilidade de, no futuro, trabalhar com o treinador. "São somente conselhos mesmo, pois a seleção sempre vai estar no meu coração", finalizou.


Leia mais sobre: Gustavo Sisley Treviso vôlei

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Divulgaçã/Lega Volley

treviso sisley gustavo

Gustavo
Jogador (centro) tenta negociar seu contrato com o Treviso para poder voltar a jogar no Brasil

Topo
Contador de notícias