iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Vôlei

24/07 - 18:28, atualizada às 09:02 25/07

Brasil enfrenta o “desconhecido”e “chato” Japão
Levantador Marcelinho destacou a importância de enfrentar os japoneses logo após o jogo contra os russos

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - Buscando confirmar sua vaga nas semifinais da Liga Mundial de vôlei, a seleção brasileira masculina entre em quadra nesta sexta-feira, a partir das 10 horas (horário de Brasília) para enfrentar o Japão.

Convidados pela Federação Internacional de Vôlei (FIVB) para a disputa da fase final os japoneses causaram polêmica ao vir ao Rio de Janeiro com apenas nove atletas, sendo que apenas dois estarão nos Jogos Olímpicos de Pequim. Por isso, os orientais são quase um mistério para Bernardinho.

“Embora o time japonês não tenha vindo com sua formação completa, sabemos que eles mantêm as características de sua escola: são bons defensores”, afirmou o técnico da equipe nacional.

De acordo com ele, a postura do Brasil em quadra terá que ser mais paciente do que na vitória contra a Rússia por 3 a 0 na quarta-feira. “É um estilo bem diferente dos russos. Temos que ter muita paciência para jogar com eles, já que, provavelmente, teremos que atacar uma, duas, três vezes para conseguir colocar uma bola no chão”, explicou.

Velho conhecedor do voleibol japonês, o oposto Anderson, que já atuou na terra do sol nascente, classificou os Japão como um time “chato”. “Eu diria que a equipe de japonesa tem um estilo chato de jogar. Temos que manter a tranqüilidade contra eles, já que têm a base de seu jogo na defesa. Além disso, eles não costumam errar muito nos saques”, analisa.

á para o ponteiro Dante, maior pontuador do time brasileiro na vitória contra a Rússia, com 16 pontos, outro adjetivo cairia melhor para classificar o Japão. “A defesa deles é irritante. Não podemos cair nessa armadilha. Sabemos que, mesmo sem os principais jogadores, eles têm um bom volume de jogo. O negócio é tentar imprimir nosso ritmo, assim como fizemos com a Rússia”, explica.

O levantador Marcelinho destacou a importância de enfrentar os japoneses logo após o jogo contra os russos. “É a hora de colocarmos em prática toda a nossa preparação. Seremos exigidos assim nos Jogos Olímpicos. Enfrentamos um time forte no ataque, agora enfrentaremos uma equipe que defende muito bem”, encerra o atleta.

Além do duelo do Brasil, o Maracanãzinho recebe nesta sexta a disputa entre Sérvia e Polônia, a partir das 13h15 (horário de Brasília) pelo grupo F da fase final da Liga Mundial.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo