iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Vôlei

17/07 - 14:12

Contra o Brasil, Navajas quer avaliar o trabalho

Contra o Brasil, o time tentará diminuir um incômodo retrospecto de 50 derrotas em 52 partidas

Gazeta Esportiva

GOIÂNIA - A fraca campanha com apenas uma vitória em dez jogos não desanima o brasileiro Ricardo Navajas, técnico da Venezuela, que enfrenta o Brasil nesta sexta-feira e sábado em Goiânia. Conforme havia dito antes do início da Liga Mundial, o treinador ressaltou que os resultados nesta fase não são importantes, já que o time está com a cabeça nos Jogos Olímpicos, competição que vai disputar pela primeira vez na história.

De acordo com ele, a avaliação final será feita justamente nos confrontos contra o Brasil, onde o time tentará diminuir um incômodo retrospecto de 50 derrotas em 52 partidas. “É importante jogar contra uma equipe da qualidade do Brasil para avaliar o trabalho. Nestas partidas, independente dos resultados, veremos em que pontos precisamos melhorar”, destacou.

“Os Jogos Olímpicos são a prioridade. Fizemos dois bons jogos contra a Sérvia, no último final de semana, e esperamos melhorar mais. Senti o time um pouco cansado pela viagem nos primeiros treinamentos, mas até a hora do jogo a equipe irá se recuperar”, acredita o treinador.

Navajas foi o responsável pela classificação do time a Pequim-2008 depois de histórica vitória sobre a Argentina no qualificatório sul-americano no início deste ano. “É um feito incrível, não só para o voleibol, mas para todo o esporte coletivo da Venezuela, que nunca havia classificado uma equipe para os Jogos Olímpicos. Antes, o país só havia sido representado nas modalidades individuais”, destacou.

O central Ivan Marques reforça as palavras do treinador e afirma que o forte grupo A, que conta ainda com França e Sérvia, foi um bom teste para os venezuelanos. “Enfrentar Brasil e Sérvia, que também estarão em Pequim, é muito importante para nós. Serão nossos últimos jogos oficiais antes dos Jogos Olímpicos, então é hora de acertar alguns pontos importantes na equipe. Passamos por momentos difíceis durante a preparação, mas vamos superar as dificuldades”, promete o atacante venezuelano.

Ele falou ainda sobre o clima criado no país após a classificação. “O povo venezuelano está feliz e orgulhoso de nós e apóia bastante a equipe. Nas seis partidas que fizemos em casa na Liga Mundial, o ginásio estava lotado”, ressaltou.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias