iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Vôlei

28/06 - 09:59

Brasil não brilha, mas bate Turquia em sets diretos
A seleção brasileira de vôlei feminino não chegou a brilhar neste sábado, mas isso nem foi preciso para bater a Turquia por 3 sets a 0, garantindo a quarta vitória em cinco jogos disputados pelo Grand Prix. Mesmo com dificuldades inesperadas, as comandadas de José Roberto Guimarães aplicaram parciais de 25/23, 25/19 e 25/15 sobre as adversárias, retomando o terceiro posto na classificação.

Gazeta Esportiva

Em partida disputada em Vinh Phuc, no Vietnã, o técnico brasileiro definiu uma estratégia de dar ritmo de jogo a todas as atletas. Desse modo, Sassá retornou ao time titular na vaga que era de Jaqueline, e Fabiana deu lugar a Thaísa, que acabou o confronto como a maior pontuadora em quadra: 13 pontos.

Com um início ruim, o Brasil foi dominado em grande parte do primeiro set pela Turquia, que chegou a estar perto de abrir vantagem no placar. No entanto, o grupo canarinho se recuperou a tempo e, em 26 minutos, conseguiu aplicar 25/23.

O panorama não se alterou na segunda parcial: bom início das otomanas, que no primeiro técnico ostentavam o marcador de 8/6. No entanto, novamente as brasileiras subiram o nível para conseguir a virada, fechando por 25/19.

Finalmente mais seguro em quadra, o time dirigido por José Roberto fez no terceiro set a melhor parte de sua exibição. Com muita tranqüilidade, não houve problemas para aplicar um 25/15 que consumou a vitória sem perder parciais.

Na análise da partida, o treinador brasileiro reconheceu a boa partida das turcas, que dificultaram muito o duelo especialmente em seu início. “Elas jogaram muito bem. No primeiro set, começamos mal, fugindo da nossa característica. Na segunda parcial retomamos o controle e evoluímos”.

Com a vitória, o Brasil chega aos nove pontos na classificação geral do Grand Prix e ocupa provisoriamente o terceiro lugar, um à frente justamente da Turquia. No entanto, os Estados Unidos ainda jogam com a República Dominicana neste sábado e, em caso se vitória, podem superar as brasileiras.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo