iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Vôlei

27/06 - 14:34

Ricardinho critica Bernardinho e Giba e nega retorno à seleção
Uma reconciliação entre o levantador Ricardinho e o técnico da seleção brasileira de vôlei, Bernardinho, parece ser impossível. Pelo menos na opinião do atleta, que na edição de julho da revista Um criticou duramente o treinador que o cortou da equipe nacional pouco antes do início dos Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio de Janeiro.

Gazeta Esportiva

"O Bernardinho é uma pessoa que morreu para mim. Passei por muita tristeza, sofri pra caramba. Se ele (Bernardinho) me ligar, querendo resolver o caso, simplesmente vou responder "não quero, muito obrigado'" Não conseguiria aceitar depois de tanto tempo”, afirmou o ex-capitão da seleção brasileira de vôlei.

Na época do corte, o técnico Bernardinho afirmou que o levantador havia sido cortado devido a um desgaste na relação. Ricardinho também deu sua versão sobre o caso.

“Como capitão, estava na linha de frente mesmo. Reivindicava pelos nossos direitos e isso pode ter criado algum atrito. Participei da conversa sobre a divisão de prêmios, também conversamos sobre longas viagens desgastantes. Sei que no dia da apresentação para o Pan, no Rio, a única desculpa que recebi do Bernardinho para minha dispensa era o desgaste no nosso relacionamento”, apontou Ricardinho.

E não foi só Bernardinho que mereceu críticas de Ricardinho. O levantador também se mostrou decepcionado com o ponta Giba.

“Não somos mais amigos, agora é tudo no profissional. Eu acreditava que ele deveria ser o cara que tinha de apontar o que fiz de errado, o que o Bernardo fez de errado. E todo mundo errou. No começo foi a pessoa que me deixou chateado, mas agora, com calma, entendo que essa é a personalidade dele, em cima do muro. Não poderia esperar do Giba essa reação porque é o jeito dele. Ele não era o amigo que eu pensava que ele fosse”.

Ricardinho afirmou ainda que não mantêm contato com os companheiros de seleção e quando isso ocorrer será apenas de forma profissional.

“Agora no Treviso (time italiano), com o Gustavo, será estritamente profissional. Não adianta falar que vou sair para jantar com ele porque isso não vai rolar. Mas, na quadra, jogamos juntos, não há qualquer problema”.

Apesar de toda a polêmica, Ricardinho garante que irá torcer para a seleção conquistar a medalha de ouro e renegou o rótulo de vilão.

“Daqui a pouco vão falar que eu torço contra a seleção. Isso não existe! Torço sempre por ela. Quero um pouco de paz. Na verdade, agora posso dizer que estou tranqüilo. E não tem por que me colocar como vilão”, apontou o levantador.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo