iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Vôlei

14/06 - 12:24

De olho em Pequim, Brasil joga tie-break para bater Sérvia na es
Ainda faltam 55 dias para o início dos Jogos Olímpicos de Pequim, mas a seleção brasileira de vôlei já iniciou sua preparação para a medalha de ouro com vitória.

Gazeta Esportiva

De olho na competição chinesa, a equipe comandada por Bernardinho estreou na Liga Mundial neste sábado e encontrou muitas dificuldades para bater a Sérvia, mas conseguiu o resultado positivo por 3 sets a 2, com parciais de 22/25, 25/21, 25/18, 23/25 e 15/11.

Campeão das últimas cinco edições da Liga e na busca pelo oitavo título no total, igualando a atual bicho-papão, a Itália, o Brasil superou um início irregular na partida disputada no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, para aplicar uma virada com autoridade.

Em jogo cujo alguns ralis levantaram os cerca de 11 mil torcedores, a força mostrada pelos europeus surpreendeu, já que a acentuada revelação vivida pela equipe colocava suas pretensões na competição em dúvida. No entanto, o que se viu foi um grande teste para a seleção brasileira, que começou a defesa do título já sendo obrigada a disputar um tie-break.

Apesar das dificuldades, os atuais campeões olímpicos garantem os primeiros dois pontos na Liga Mundial e já pulam na liderança do Grupo A, superando a Sérvia por um. Neste domingo, as duas equipes voltam ao Ginásio do Ibirapuera para cumprirem o encerramento da rodada inicial.

Os outros dois times da chave, Venezuela e França, ainda fazem suas estréias neste sábado, quando se enfrentam na América do Sul. A equipe comandada por Ricardo Navajas e os franceses também se enfrentam no dia seguinte, ainda em território venezuelano.

O jogo:

Os dois times entram na competição de olho nas Olimpíadas, evento em que integrarão a mesma chave, e com status de favoritos, embora a acentuada renovação pela qual passa a seleção sérvia pode comprometer seu desempenho ao longo da Liga.

Com muitas dificuldades no primeiro set, o Brasil se viu em uma desvantagem de 16/12. Após um pedido de tempo, a equipe nacional voltou melhor à quadra e aproveitou para empatar em 18 em rali que incluiu grande defesa de Marcelinho para cortada de Dante.

A Sérvia volta a comandar o marcador na seqüência, até que ponto de bloqueio de Gustavo, o primeiro do Brasil no fundamento, iguala tudo novamente em 21. Na seqüência, o Brasil comemorava um ponto de André Nascimento, mas a marcação do juiz de toque na rede deu a vantagem que os sérvios queriam para subir a confiança e fechar por 25/22.

Mais agressivo e contando com erros dos adversários, os comandados de Bernardinho acordaram logo no início do segundo set. Com vantagem de 7-4 no marcador, Murilo conseguiu um bloqueio que levou a equipe ao tempo técnico ostentando quatro pontos a mais que os sérvios.

Na seqüência, a diferença se manteve até Dante encaixar um ace que tocou a linha da quadra adversária e colocar o Brasil ainda mais à frente do marcador: 16/11. Depois do novo intervalo, os sérvios esboçaram a reação ao fazer a vantagem brasileira cair para 20/18, sendo que um erro de Murilo em uma bola de meio-de-rede deu ainda mais esperanças aos sérvios.

A entrada de Anderson mais uma vez se mostrou uma boa aposta de Bernardinho, e o ponteiro converteu um contra-ataque para abri 22/19, placar que devolveu a tranqüilidade necessárias para seus companheiros fecharem a parcial.

Logo no início do terceiro set, um incrível rali levantou os torcedores presentes do Ginásio do Ibirapuera. Depois de grande defesa do líbero sérvio Samardzic, Dante converteu bola no meio-de-rede em contra-ataque e manteve o Brasil à frente do marcador pela vantagem mínima: 6/5.

A diferença ficaria intacta até o primeiro tempo do set, e foi a partir daí que o time dirigido por Bernardinho voltou a deslanchar. Sem cometer erros e apostando na velocidade em bolas de meio, os brasileiros fugiam do bloqueio sérvio, em jogo suficiente para chegar à parte final da parcial com vantagem de 21/17. Em nova jogada rápida, Bruninho levantou para Gustavo surpreender a defensiva sérvia e chegar ao primeiro set point, logo convertido após uma pancada de saque desferida por Dante.

Em terceiro set equilibrado, os canhotos André Nascimento e Starovic se revezavam para saber quem teria mais destaque, convertendo todas as ações das quais participavam. Nessa toada, o Brasil tinha pequena desvantagem até o 16º ponto, quando Gustavo encaixou um ace para empatar o placar por 8/8.

As equipes seguiram trocando pontos e aproveitando quando tinham a bola na mão para converter vantagens. O panorama, portanto, seguiu igualado até que dois bloqueios para cima de André Nascimento deram importante vantagem aos sérvios, que abriram 19/16. A reação brasileira, no entanto, veio a galope: após um erro de saque dos adversários, André Heller aproveitou para bloquear Nikic e encurtar a desvantagem para 20/18.

Na seqüência, Marcelinho tinha a bola nas mãos, porém errou na força do levantamento para André Nascimento, provocando erro do canhoto. Abusando dos bloqueios e sendo letal nos contra-ataques, a equipe européia logo encaixou mais um ponto seguido, abrindo 22/19.

Quando a Sérvia parecia ter decidido o set, um erro de Janic poderia ter colocado o Brasil de volta à disputa, com a diminuição da desvantagem para 23/22. No entanto, o equívoco não passou de um susto para os visitantes, que converteram o tento na seqüência para chegar a um duplo set point – a segunda chance foi consumada em um saque na rede de Gustavo, levando a definição do embate para o tie-break.

A animação da Sérvia não durou muito no desempate. A partida seguiu equilibrada até o sétimo ponto, quando o Brasil, primeiro com um bloqueio de Gustavo e depois com um saque de André Nascimento, conseguiu se distanciar pela primeira vez no marcador: 6/3.

Depois dos visitantes confirmarem seus ataques, eles conseguiram encurtar a desvantagem após erro de Dante, que pediu desvio no bloqueio não marcado pelo árbitro. Com 6/5 no marcador, André Nascimento explorou o bloqueio da Sérvia, enquanto os rivais utilizaram a mesma tática na seqüência.

No ponto que antecedeu o tempo técnico, o lance que parecia definitivo para o futuro da equipe européia no confronto. Após boa defesa do líbero Samardzic, o árbitro assinalou condução de bola de Petkovic, permitindo com que o Brasil impusesse vantagem de 8/6.

Entretanto, os sérvios não desistiram e provocaram igualdade por 9/9 logo após o intervalo, contando com toque no bloqueio brasileiro em bola que se perdeu no fundo da quadra. Com 11/10 no placar, André Nascimento converteu um ponto de contra-ataque aproveitando desvio na mão direita de Podrascanin, abrindo a vantagem necessária para definir o embate.

Após troca de ataques, novamente apareceu o decisivo Gustavo. Rei do bloqueio, o meio-de-rede parou o ataque adversário para abrir 14/11 em um triplo match point. Na seqüência, a vantagem foi consumada logo na primeira oportunidade, após erro do sistema ofensivo da Sérvia.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo