Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

Zwetsch admite convocação ousada para Davis, mas defende novatos

Capitão do Brasil lembrou de bom jogo realizado por Franco Ferreiro para justificar a sua lista para a competição

Gazeta |

Os tenistas Rogério Dutra da Silva e João Souza, o Feijão, foram chamados para defender o Brasil na Copa Davis pela primeira vez na carreira. O capitão João Zwetsch admitiu que a lista foi ousada, mas tratou de defender os novatos antes do confronto com o Uruguai.

"De uma certa forma, pode ser encarada como uma convocação um pouco ousada, mas na verdade o jogador ganha experiência com o circuito. Jogar a Davis pela primeira vez é uma questão muito pessoal: alguns respondem bem e outros, não. O Franco Ferreiro, por exemplo, fez o melhor jogo da carreira na estreia na Davis", afirmou Zwetsch na manhã desta sexta-feira, em São Paulo.

João Souza, 23 anos e 128º do ranking mundial, tem como recorde na lista o 101º posto de outubro de 2010. Em 2011, foi campeão do Challenger de Santos e vice em Zagreb. Já Rogério Dutra da Silva, aos 27 anos, ocupa o 134º lugar da disputa da ATP, seu recorde. Nesta temporada, foi finalista do Challenger de Pereira.

"O Rogério e o Feijão vêm jogando muito bem, estou acompanhado a evolução deles. Eles não estão aqui por acaso, mas sim porque galgaram o caminho deles, por méritos. Os dois se enquadram melhor na situação que vamos enfrentar (jogo lento) e precisamos usar critérios específicos para cada confronto", afirmou.

Em busca de uma vaga no playoff do Grupo Mundial, o Brasil enfrenta o Uruguai no saibro de Montevidéu entre os dias 8 e 10 de julho. Na véspera da viagem, Zwetsch manifesta preocupação com o comportamento da torcida local, mas faz questão de depositar confiança em sua dupla de novatos.

"A torcida joga junto com os jogadores deles e chega até a atrapalhar em alguns momentos. O Rogerinho (27 anos) e o Feijão (23 anos) são dois jogadores que lutam muito, dedicados, esforçados e não mais tão jovens, eles já têm uma certa bagagem. Tenho total confiança no Feijão e no Rogerinho para jogar nessas condições", disse.

Em relação ao duelo na quadra rápida com Índia em 2010, deixaram a equipe os experientes Ricardo Mello, 89º em simples, e Marcelo Melo, 38º em duplas. Desta forma, Bruno Soares deve participar do confronto diante dos uruguaios ao lado de Thomaz Bellucci ou João Souza.

"O Bruno tem uma condição melhor de jogar na situação que vamos enfrentar: é um bom devolvedor de saque e tem uma ótima segunda bola. Além disso, foi vice em Montecarlo, que tem características parecidas com as que vamos encontrar. Quanto ao Ricardo, é uma questão técnica de não render o melhor no piso lento", explicou.

Zwetsch elogiou Pablo Cuevas, principal jogador do time uruguaio, mas tratou de apostar em sua equipe. "Temos um time forte e em plenas condições de sair com a vitória. Nossa equipe é melhor, mais homogênea e mais forte na teórica, mas em se tratando de Copa Davis e no Uruguai, temos que tomar muito cuidado", encerrou.

Leia tudo sobre: ZwetschCopa Davisatp

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG