Desde 2003 uma tenista sul-africana não faturava um título de torneio do Circuito WTA

Chanelle Scheepers, de boné, recebe o troféu no torneio disputado na China
AFP
Chanelle Scheepers, de boné, recebe o troféu no torneio disputado na China
O Torneio de Guangzhou foi decidido já neste sábado. A vitória de Chanelle Scheepers na decisão sobre a eslovaca Magdalena Rybarikova garantiu não apenas o primeiro título da carreira da tenista, mas também quebrou um jejum de oito anos para a África do Sul.

Cabeça de chave número 8, Rybarikova alcançou apenas 39% de aproveitamento no primeiro serviço e perdeu os dois break-points criados no jogo. Já Scheepers, sétima favorita, acertou 62% do saque inicial e converteu quatro das cinco chances para quebrar a rival, o suficiente para vencer por duplo 6/2.

Uma tenista da África do Sul não ganhava um título no Circuito da WTA desde que Amanda Coetzer triunfou em Acapulco-2003, ano que Scheepers jogou a chave principal de um torneio da WTA pela primeira vez. "O título significa muito para mim, porque trabalhei muito para isso e ganhar é recompensador. Ser a primeira desde a Amanda é a cereja do bolo", comemorou.

Além de garantir o primeiro título de sua carreira e quebrar um jejum de oito temporadas da África do Sul, Scheepers igualou o retrospecto no confronto direto contra Rybarikova, já que a eslovaca venceu o único confronto anterior com a rival, na primeira rodada de Birmingham-2009.

Atual 73ª colocada do ranking mundial, Chanelle Scheepers, 27 anos, nunca havia disputado uma final de torneio de primeira linha. Já Magdalena Rybarikova, 22 anos e 72ª da lista da WTA, perdeu na decisão de forma inédita, uma vez que levou a melhor em Memphis-2011 e Birmingham-2009.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.