Tamanho do texto

Contrato de município baiano com organizadara do evento se encerra neste ano e cidade paulista é forte candidata a nova sede

A edição de 2011 do ATP 250 do Brasil poderá ser a última do torneio realizada na Costa do Sauípe. Como o contrato do município baiano com a Koch Tavares, promotora da competição, expira neste ano, a prefeitura de São Paulo renovou as suas esperanças de ser a próxima sede do evento.

"O nosso interesse é total", afirmou Walter Feldman, secretário de Esportes, Lazer e Recreação da capital paulista. "Já havíamos tentado levar o Aberto do Brasil para São Paulo no ano passado, mas, infelizmente, não deu certo. Continuo conversando com o presidente da Koch Tavares para viabilizar essa situação".

Em fevereiro de 2010, Luis Felipe Tavares, presidente da Koch Tavares, afirmou que o Aberto do Brasil já estava "consolidado na Costa do Sauípe". O complexo turístico nordestino é controlado pela Previdência Privada do Banco do Brasil, principal patrocinadora do torneio até o ano passado.

Para Feldman, no entanto, as belas praias da Costa do Sauípe não são suficientes para justificar a realização do ATP 250. "Eu estive lá no último torneio. As arquibancadas ficaram quase vazias em alguns jogos. Por isso, digo que São Paulo é o local ideal para o Aberto do Brasil. O povo paulistano gosta de tênis, e temos estrutura para receber o campeonato", argumentou.

O secretário de Esportes começou até a analisar possíveis lugares para as disputas das partidas do Aberto do Brasil em 2012. "Pensamos no Pinheiros, no Tietê... Agora, o local mais propício talvez seja o Parque Villa-Lobos. Estamos estudando", avisou Feldman. Jorge Lacerda Rosa, presidente da CBT (Confederação Brasileira de Tênis), pretendia construir 10 quadras de saibro descobertas e instalar um centro de treinamento justamente no Parque Villa-Lobos.

Mas Feldman poderá não estar mais incumbido de trazer o ATP 250 para São Paulo nos próximos meses. Convocado a assumir o cargo de deputado federal em Brasília, o político provavelmente pedirá licença de suas funções na Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação e passará a missão a um colega.

"De qualquer forma, encerrei 2010 com sentimento de dever cumprido. Foi um ano complexo por causa das eleições, que não nos permitem desenvolver muito para não ter vinculação com o pleito. Só que a Virada Esportiva foi um sucesso, assim como as Fórmulas 1 e Indy, e ainda trouxemos para a cidade o Mundial de Judô de 2013. A São Silvestre, então, fechou isso tudo de modo brilhante", concluiu Feldman.