Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

Roddick quer reunir atletas para discutir calendário do tênis

Mesmo sem o apoio de Nadal e Murray, americano quer repensar o excessivo número de jogos

EFE |

O calendário da ATP e da Federação Internacional de Tênis (ITF) voltou a ser alvo de críticas nesta terça-feira, especialmente do americano Andy Roddick, empenhado em reunir os jogadores que disputam o torneio de Xangai para tentar alguma solução para o conturbado tema.

Veja também: Nadal e Murray minimizam chance de greve no tênis

No entanto, o protesto de Roddick, pelo menos a princípio, não ganhou o apoio de Rafael Nadal e Andy Murray , dois dos tenistas que mais reclamaram publicamente do calendário recentemente, mas que alegam que agora não é o momento certo de discutir o assunto. Com medo de que a polêmica aumente ainda mais, Nadal foi cauteloso em suas declarações nesta terça-feira. "Não é o momento oportuno de falar sobre isto, porque nenhuma decisão foi tomada. Se houver alguma informação nova, vocês terão conhecimento, mas é melhor não falar nada agora".

Durante o Aberto dos EUA, e principalmente durante os dias de chuva que interromperam o torneio e que fizeram vários jogadores disputar depois três partidas em dias seguidos, diversos tenistas, entre eles Roddick, assinalaram que discutiriam em Xangai sobre como mandar uma mensagem clara sobre suas reivindicações, que assustaria os dois órgãos que regem o tênis.

As queixas são antigas e variadas, mas se resumem em duas reclamações principais: o calendário excessivo de jogos e o número de torneios que são obrigados a disputar.

Os tenistas querem mudar a data de alguns torneios, para que aconteça um espaçamento maior entre uma disputa e outra. Além disso, pedem que a Masters Cup e a final da Copa Davis aconteçam em datas fixas, e que reúnam somente os jogadores que tiverem interesse na competição.

Os atletas reivindicam ainda que não exista a obrigatoriedade de disputar todos os nove torneios de Masters 1000, e que seja criado um ranking bienal que os proteja em caso de uma lesão mais grave.

Sobre os jogos em que representam seus países, os tenistas pedem uma mudança profunda no formato da Copa Davis, com o torneio sendo definido em uma semana ou duas, em vez das quatro atuais. Além disso, colocam sobre a mesa a possibilidade de que o torneio aconteça a cada dois anos, e que as partidas sejam definidas em melhor de três sets.

No próximo ano, o calendário será reduzido em duas semanas, mas a luta que começaram promete ser longa. Roddick defendeu a criação de uma organização similar à que existe em outros esportes para defender seus interesses.

Além disso, lamentou a ausência do suíço Roger Federer e do sérvio Novak Djokovic do torneio de Xangai, o que prova que eles precisavam de um descanso após o Aberto dos EUA.

"Eles não estão ganhando dinheiro esta semana. Se estivessem bem fisicamente, estariam aqui", disse.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG