Fortes no piso rápido, tenistas podem voltar ao time brasileiro na repescagem do Grupo Mundial

Em busca de uma vaga no Grupo Mundial da Copa Davis, o Brasil visita a Rússia entre os dias 16 e 18 de setembro . Como os donos da casa devem escolher o piso rápido para sediar o confronto, o capitão João Zwetsch pode promover os retornos de Ricardo Mello e Marcelo Melo, que ficaram fora do embate com o Uruguai, disputado no último final de semana.

"Hoje, a gente tem uma dupla muito forte em piso rápido, que é o Bruno Soares e o Marcelo Melo, o que já nos dá a possibilidade de levar dois especialistas novamente. Temos uma boa chance de contar novamente com o Ricardo Mello, que joga bem nessas condições, mas ainda é muito cedo para dizer qualquer coisa. Temos que formar uma equipe para brigar pelos pontos em todos os cinco jogos", disse o capitão.

A performance dos jogadores nas próximas quatro semanas serão cruciais para a formação da equipe diante dos russos. Antes de divulgar a convocação, Zwetsch pretende conversar com Daniel Melo, técnico dos duplistas brasileiros. Com as possíveis voltas de Ricardo e Marcelo, Rogério Dutra da Silva e João Souza, titulares contra o Uruguai, correm risco.

O Brasil não disputa o Grupo Mundial da Copa Davis desde 2003, quando ainda contava com Gustavo Kuerten. Derrotado no playoff nos últimos cinco anos, o País tinha 87% de chance de jogar dentro de casa e poderia duelar com um rival de menor tradição. No entanto, além de atuar como visitante, enfrentará a respeitável equipe russa.

"Nossa preferência era jogar em casa, por poder escolher o piso e as condições melhores para os nossos jogadores. As chances eram grandes, mas Copa Davis é isso, serão poucas as vezes em que as condições serão favoráveis. Temos que lidar com isso e saber tirar o nosso melhor. Nós temos que ter a consciência de que estamos prontos, que não podemos deixar mais essa chance passar e começar a preparação desde já, pois temos condições de vencer", disse Zwetsch.

A Rússia foi vice-campeã nas temporadas de 1994, 1995 e 2007. Em 2002 e 2006, com a presença de Marat Safin, ex-líder do ranking mundial, conquistou o título. Na última série do torneio, a equipe perdeu por 3 a 2 para a Suécia com Teymuraz Gabashvili, Igor Andreev, Igor Kunitsyn e Dmitry Tursunov. O país ainda conta com Mikhail Youzhny, 17º do mundo, e Nikolay Davydenko, 29º.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.