Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

Quarteto fantástico do tênis quer fazer história em Wimbledon

Nadal tenta igualar a marca de Bjorn Borg, que tem 11 títulos de Grand Slams. Djokovic toma nº 1 se for à final

AFP |

Os quatro melhores tenistas do mundo, Rafael Nadal, Novak Djokovic, Roger Federer e Andy Murray, preparam-se para disputar, a partir desta segunda-feira, o torneio de Wimbledon, no qual cada um poderá, à sua maneira, fazer história.

Atual campeão do torneio, o espanhol Rafael Nadal precisa defender seu título para manter-se na liderança do ranking da ATP. E ainda terá que torcer contra o sérvio Novak Djokovic, que só precisa chegar até a final para ficar com a posição de número 1 do mundo.

O espanhol também terá outro desafio pela frente: alcançar a marca de Bjorn Borg, ao conquistar seu 11º título em torneios do Grand Slam. Nadal já igualou-se ao sueco há duas semanas atrás, ao tornar-se hexacampeão de Roland-Garros. E se levantar o trofeu em Wimbledon, ele alcançaria mais uma marca do Borg, ao vencer por três vezes os torneios de Roland-Garros e Wimbledon na mesma temporada (ele conseguiu este feito em 2008 e 2010, enquanto o Borg fez o mesmo em 1978,1979 e 1980).

Porém, ainda falta muito para que ele possa igualar-se ao recordista absoluto de vitórias em Grand Slam, o suiço Roger Federer, que já conquistou 16 e vai fazer de tudo para conquistar o 17º.Até porque se ele triunfar mais uma vez na grama inglesa, alcançará a marca de outra lenda do tênis mundial, o americano Pete Sampras, ao tornar-se como ele hexacampeão de Wimbledon. Esse recorde também pertence ao inglês William Renshaw, que venceu o torneio sete vezes no final do século XIX.

Com muita moral após ter chegado na decisão de Roland-Garros, onde acabou com a invicibilidade de Djokovic na temporada nas semifinais, o suiço vai tentar superar o trauma da última edição de Wimbledon. Ele tinha sido derrotado na quartas de final pelo tcheco Tomas Berdych, depois de disputar a final do torneio nos sete anos anteriores

Federer, atual número 3 do mundo, também não deve desistir da briga pelo primeiro lugar do ranking, já que falta a ele apenas uma semana na liderança para quebrar o recorde de Sampras, jogador que ficou mais tempo no topo na história.Com 'apenas' dois títulos do Grand Slam conquistados, ambos no aberto da Austrália, Djokovic ainda está longe de alcançar os números de lendas do tênis mundial, mas ele pode marcar a história do seu país.Após ter conquistado a Copa Davis em dezembro, basta chegar à final de Wimbledon para tornar-se no primeiro sérvio número um do mundo, pelo menos no circuito masculino, já que suas compatriotas Ana Ivanovic e Jelena Jankovic já alcançaram este feito no feminino.Já o escocês

Andy Murray, número 4 do mundo, carrega nas costas todas as esperanças da torcida local, que espera há 75 anos por a vitória de um britânico em Wimbledon.

Divulgação
A partir deste domingo, quadras de Wimbledon recebem elite do tênis para o torneio mais tradicional do circuito

Leia tudo sobre: WimbledonNadalFedererDjokovicMurray

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG