Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

Pressionado por tabu, Murray mantém esperança britânica em Wimbledon

Torcida local vive euforia com atuações “maduras” do tenista, que pode ser o primeiro britânico a vencer um Grand Slam desde 1936

Felipe Rocha, especial para o iG, de Londres |

Esta é a 125ª edição de Wimbledon . E faz 75 anos que nenhum britânico consegue vencer o torneio. Contexto que deixa a vida do escocês Andy Murray , digamos, mais agitada nesta época do ano. Reconhecidamente um tenista talentoso, o número 4 do mundo tem sido a principal esperança da torcida local há alguns anos para quebrar o longo tabu. Jejum de títulos, aliás, que não se restringe à Wimbledon. Nenhum britânico venceu qualquer Grand Slam desde 1936, quando Fred Perry levantou seu tricampeonato nas gramas londrinas.

Nesta sexta-feira, Murray venceu o croata Ivan Ljubicic , por 3 sets a 1 (6-4, 4-6, 6-1 e 7-6), avançou às oitavas de final da competição e renovou as esperanças dos britânicos.

“Chegou a hora do Andy vencer Wimbledon. Ele está mais maduro e confiante em relação aos últimos anos. Eu acredito que vai ser campeão neste ano”, diz a inglesa Abbie Rogers, que pintou a bandeira do Reino Unido no rosto e escreveu “Eu amo Andy (Murray)” no braço, antes de prestigiar o jogo do ídolo no All England Club.

Felipe Rocha
Abie Rogers exibe na pele amor ao tenista britânico

A sensação em Londres é de uma mistura de euforia com ceticismo. Parece consenso que Murray está confiante e mais preparado para vencer um Grand Slam, o que gera um entusiasmo nos mais otimistas. Confiança potencializada após o título do escocês em Queen´s , torneio que antecede Wimbledon. Mas há também o outro lado da moeda. Murray tem um grande problema para resolver, ou melhor, três grandes problemas: Rafael Nadal, Roger Federer e Novak Djokovic.

Felipe Rocha
Estátua de Fred Perry, último campeão britânico de um Grand Slam
“Vejo o Andy Murray no mesmo nível deles. Talento e tênis para vencê-los, Murray já provou que tem. Agora falta conseguir fazer isso em uma final de Grand Slam”, disse ao iG o ex-tenista Greg Rusedksi. “Talento não falta, é hora de provar que ele tem cabeça para vencer os principais torneios da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais”, completou.

Murray perdeu as finais do Aberto da Austrália em 2010 e 2011, e do Aberto dos Estados Unidos em 2008. Em Wimbledon, a melhor campanha do escocês foi chegar às semifinais em 2009, quando saiu derrotado pelo americano Andy Roddick e, em 2010, quando perdeu para o espanhol Rafael Nadal.

”O que não podemos esquecer é que Andy Murray tem apenas 24 anos de idade. Tenho certeza que ele vai conseguir ser campeão em Wimbledon em breve”, opinou o torcedor escocês Ryam Ramsay.

O próximo adversário de Murray será o francês Richard Gasquet, que atropelou o italiano Simone Bolelli, por 3 sets a 0 (6-3, 6-2, 6-4), na terceira rodada.

Felipe Rocha
Comércio da região se veste com tênis na torcida por Andy Murray

Leia tudo sobre: Andy murrayatpwimbledontorcida

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG