Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

Para Federer, tênis atual não é para adolescentes

Novatos promissores? Não vejo muitos, na verdade, disse Federer, que entrou para o Top 100 da lista da ATP aos 18 anos de idade.

Gazeta Esportiva |

Aos 29 anos, Roger Federer é o tenista mais velho da leva dos oito jogadores que disputarão o ATP Finals a partir deste domingo, em Londres. Para o suíço, as condições atuais do tênis não permitem que adolescentes se destaquem no esporte.

De certa forma, o número dois do mundo tem razão. Analisando as posições no ranking, o mais promissor dos jovens tenistas é apenas o búlgaro Grigor Dimitrov, de 19 anos, que aparece na 114ª posição.

"Novatos promissores? Não vejo muitos, na verdade", disse Federer, que entrou para o Top 100 da lista da ATP aos 18 anos de idade. "Para mim, é bastante surpreendente porque quando eu estava despontando tinha (Lleyton) Hewitt, (Marat) Safin,  (Andy) Roddick, (Juan Carlos) Ferrero e (Tommy) Haas. Estavam todos entre os 100 melhores quando eram adolescentes. Aí você pensa em Boris Becker vencendo em Wimbledon aos 17 anos, e Michael Chang em Roland Garros antes disso", avaliou o suíço, em entrevista à Reuters.

Na avaliação de Federer, a evolução do tênis para um jogo que exige bastante da combinação entre o físico e o mental foi decisiva para que jovens promessas não despontem tão facilmente.

"O esporte se tornou mais físico e mais mental, talvez eles precisem de mais tempo para desabrochar agora. Isso pode ser uma coisa boa ou ruim dependendo de como você encara. Mas sempre me empolga ver quem está surgindo", concluiu o suíço.

Leia tudo sobre: tênis - atptênis - roger federer

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG