Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

Otimista, Andy Murray ignora pressão por jogar em casa

Britânico vai enfrentar Roger Federer, Robin Soderling e David Ferrer em seu grupo das Finais da ATP

Gazeta Esportiva |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860451876&_c_=MiGComponente_C

O tenista Andy Murray não está mais preocupado com a pressão de ser o principal nome britânico do circuito mundial de tênis. Preparando-se para jogar em casa a partir de 21 de novembro, nas Finais da ATP (Associações dos Tenistas Profissionais), em Londres, o tenista afirmou que já aprendeu a lidar com as cobranças.

"Claro que os primeiros anos da minha carreira foram difíceis. Eu era jovem e não lidava muito bem com o fato de que todos estavam atentos a mim. Eu exigia demais de mim mesmo e talvez por isso não conseguia ser regular", explicou.

Murray vai disputar as Finais da ATP pela terceira vez. Em 2008, na China, o tenista venceu todos os jogos da fase de grupos, inclusive contra Roger Federer, mas foi derrotado na semifinal pelo russo Nikolay Davydenko. Ano passado, na capital inglesa, o local venceu duas partidas na fase de grupos, mas foi derrotado pelo suíço, ficando fora das etapas finais.

Este ano, o britânico caiu no grupo do sueco Robin Soderling e do espanhol David Ferrer, além de reencontrar Federer (veja os grupos das Finais da ATP). Apesar do bom retrospecto contra ele, de oito vitórias em 13 jogos, Murray respeita o adversário. "É verdade que eu tenho retrospecto positivo, mas quando ele está inspirado é praticamente impossível vencê-lo", elogiou.

Outro adversário difícil será o líder do ranking Rafael Nadal. O espanhol já venceu oito dos 12 jogos que disputou contra o britânico, mas este ano a vantagem é do quinto do mundo. Murray venceu no Aberto da Austrália e no Masters 1000 de Canadá, perdendo apenas na grama de Wimbledon. "Ganhei dele nas duas vezes que nos enfrentamos sobre o piso duro neste ano. Se já venci, não há porque não ganhar outra", provocou.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG