Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

Nadal quer dissipar dúvidas sobre sua motivação na Austrália

"Estou contente. Estou treinando bem. Estou desfrutando de tudo. Estarei preparado para amanhã", avisou

Reuters |

O tenista espanhol Rafael Nadal respondeu aos céticos que questionaram sua motivação para o Aberto de Austrália ao declarar no domingo que havia recuperado a paixão perdida e que estava pronto para enfrentar seu algoz de 2011: Novak Djokovic.

Getty Images
Nadal perdeu seis finais consecutivas para Novak Djokovic

Nadal ganhou seu sexto título em Roland Garros no ano passado, mas teve uma temporada decepcionante para seus altos padrões, perdendo o posto de número um do mundo e seis finais consecutivas para o sérvio.

Leia mais: Em busca do tri na Austrália, Djokovic vislumbra nova temporada em alta

Ele agora é o número dois do mundo, que foi eliminado prematuramente no ATP World Tour que encerrou 2011, e admitiu que havia perdido a paixão enquanto lutava com uma lesão no ombro no final do ano, mas afirmou que houve exagero da mídia. "Não é nada louco", afirmou. "Acontece quando se está um pouco mais cansado que o normal. Acontece não fazer o trabalho com a mesma paixão porque se está cansado. É parte do trabalho."

Nadal enfrenta na segunda-feira o norte-americano Alex Kuznetsov, e diz ter chegado a Austrália com "uma grande motivação, com grande paixão." "Estou contente. Estou treinando bem. Estou desfrutando de tudo. Estarei preparado para amanhã", assegurou.

O tenista de Mallorca poucas vezes faz declarações otimistas sobre sua forma antes de eventos de Grand Slam, mas desta vez pareceu obrigado a fazê-lo após uma surpreendente derrota na semifinal do Aberto do Qatar para o francês Gael Monfils.

Alguns especialistas dizem que o tenista de 25 anos foi superado por Djokovic, que tem destroçado seu jogo ao atacar seu serviço e seus pontos fracos.

Djokovic segue pesando na mente de Nadal, que descreveu o sérvio como o homem que bloqueia o caminho rumo à 10ª conquista de Grand Slam. "Há muitos jogadores fantásticos. Novak é o melhor porque teve um ano fantástico em 2011. É o número um hoje. Merece estar lá", disse.

 

Leia tudo sobre: tenisnadalaberto da australiaatp

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG